Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

REDE DE SERVIÇOS ONLINE DA SONY DEVERÁ ENTRAR NO AR NO COMEÇO DE 2010

23/11/2009 01:00:00

A Sony quer lançar seu serviço de conteúdo online já no início de 2010, disseram na sexta-feira (20/10) executivos ligados ao projeto.

Com o serviço, a empresa espera ganhar alguma vantagem no cada vez mais competitivo mercado de eletrônicos de consumo.

?Eu gostaria de colocá-la no ar o mais rapidamente possível?, disse Kaz Hirai, vice-presidente executivo da Sony e líder do grupo de Serviços e Produtos Interconectados. ?O começo do ano que vem é mais preferível.?

O serviço, que tem o nome provisório de Sony Online Service, procura oferecer filmes, músicas, livros, jogos e outros conteúdos a aparelhos eletrônicos interconectados, como Bravia TV, tocadores Walkman, computadores Vaio e celulares Sony Ericsson.

Expansão
Trata-se de uma expansão da bem-sucedida PlayStation Network, que tem 33 milhões de usuários em 3 anos de operação e combina conteúdo grátis e pago.

A Sony espera faturar 563 milhões de dólares este ano com a rede, cuja infraestrutura será utilizada também pela Sony Online Service. O mesmo login será válido para as duas redes.

O novo serviço tem uma expectativa de vendas de 300 bilhões de ienes em 2012, mas também vai oferecer uma série de conteúdo grátis aos usuários. A Sony não está ?fechando as portas para as coisas boas que oferecemos a custo zero?, disse Hirai.

Alcance global
Nos EUA, a PlayStation Network entrega conteúdo produzido por todos os principais estúdios de Hollywood e muitas grandes redes de TV, além de conteúdo da própria Sony. Este modelo deverá ser duplicado no novo serviço.

Fora dos EUA, a PlayStation Network tem sido expandida ? desde quinta-feira (19/11), downloads de vídeo podem ser feitos na França, Alemanha, Espanha e Reino Unido.

O sucesso do serviço dependerá também de como a Sony pretende lidar com o gerenciamento de direitos digitais (DRM) e com restrições eletrônicas e de software ao uso do conteúdo.

Consumidores não querem ser impedidos de compartilhar conteúdo entre seus próprios aparelhos ou com sua família. Sobre isso, Hirai disse que o assunto permanece em "discussão constante" dentro da empresa.
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar