Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CUIDADO NA COMPRA DO COMPUTADOR

04/11/2009 01:00:00

Projeções indicam que as vendas de PCs no Brasil deverão atingir 11 milhões de unidades até o final deste ano. As informações levantadas pela consultoria IT Data, especializada em fornecer dados sobre mercado de Tecnologia da Informação (TI), mostram também que a comercialização de computadores de mesa será de 6,3  milhões e a de notebooks, 4,7 milhões.

Com muitos brasileiros comprando seu primeiro computador ou trocando o modelo, saber escolher a máquina ideal parece um desafio. Fatores como perfil do usuário, usabilidade, mobilidade e preço devem ser considerados, mas não é apenas isso.

Confira alguns itens que considero importantes e que podem ajudá-lo nesse processo de escolha, seja de um desktop ou laptop.

O quanto investir
Talvez este seja o maior limitante hoje. Mesmo tendo uma aplicação pesada, se não houver  dinheiro para investir, não adianta dizer que precisa de uma super  máquina. Ela será tão boa quanto você puder comprar.

Em quais aplicações usar a máquina
Se forem aplicações básicas, não é necessário investir muito dinheiro em um super processador, nem em uma placa de vídeo diferenciada. Caso armazene muitas fotos, vídeos e músicas, irá precisar de um grande HD. Agora, se for editar imagens e vídeos, mexer com CAD e outros aplicativos gráficos, uma placa de vídeo com bastante memória e um processador de alto desempenho são fundamentais.

Precisa ter mobilidade?
Se pretende carregar o computador para todos os lugares da casa ou mesmo trabalho e estudo, não tem jeito, precisa ser um net ou um notebook.

Tamanho ideal da tela
Cada vez mais se fala em vídeo em high definition, e isso remete ao formato wide ou na proporção 16:9, logo, seja um note, ou um desktop, a tela ou monitor deverá ser no formato wide. No caso de desktops, a relação custo/benefício leva para a escolha de monitores entre 18 e 22 polegadas.

Quantidade de memória

Existe uma recomendação para que se rode o Vista e Windows 7 com tranqüilidade. O ideal é que se tenha pelo menos 2 GB de memória RAM. Estamos na transição entre as memórias DDR2 para DDR3. É claro que as DDR3 são mais rápidas do que a geração anterior, mas por ainda não terem um grande volume de produção, seu custo ainda é relativamente alto, assim como o preço da placa-mãe que a suporta ser um pouco superior.

Capacidade do disco rígido
O custo por GB dos HDs tem diminuído a cada ano. Hoje já é possível comprar um disco de 1TB por menos de R$ 500. Tanto que as máquinas atualmente já saem de fábrica com 250, 320 e até 500 GB de capacidade.

O processador
A frequência do processador é importante, mas há outros fatores que fazem dele mais ou menos rápido, tais como o número de núcleos e a quantidade de memória interna dele, chamada de cachê L1 e L2.

Placa de vídeo
Hoje diversas placas-mãe já oferecem melhor desempenho de vídeo mesmo nas suas soluções integradas, também conhecidas como ?vídeo on board?, comparáveis às placas específicas ou off board de entrada. Cabe lembrar que no caso das soluções de vídeo onboard, a memória de vídeo é compartilhada da memória RAM da placa-mãe. Por isso, se o usuário for utilizar no seu melhor desempenho, deverá levar isso em consideração ao quantificar a RAM a ser utilizada.
 
 
 
Fonte: PcMagazine

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar