Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

LAPTOP MAIS BARATO NO BRASIL

01/09/2009

 
Notebook



 


Pesquisa mostra que são necessários 1,74 salários para a compra de notebooks de marca nacional e 1,88 salários para os de marca global; no segundo semestre de 2008 eram necessários 1,92 e 2,44 salários, respectivamente

O estudo "Índice Marco de Gap Digital", realizado ao longo do primeiro semestre de 2009 pela Marco Consultora, consultoria especializada em desenvolvimento e implementação de serviços de marketing sob medida, para mercados altamente competitivos, aponta que os computadores portáteis estão cada vez mais acessíveis, com uma queda no número de salários necessários para o brasileiro adquirir um notebook, tanto de marcas nacionais quanto de marcas globais.

Atualmente são necessários 1,72 salários para comprar um notebook de marca nacional e 1,88 salários, para os de marca global; na edição anterior do estudo, realizada no segundo semestre de 2008, eram necessários 1,92 e 2,44 salários, respectivamente, uma queda, portanto, de 0,20 salários e 0,55 salários. O índice do estudo indica a quantidade de salários necessária para adquirir um notebook O salário de comparação é de R$ 1.312,30, renda média do brasileiro, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas).


Notebooks já respondem por 40% do mercado
"Não há dúvidas de que os computadores portáteis estão exercendo sua vocação de tornarem-se cada vez mais de uso individual. Essa vocação faz com que o aumento das vendas facilite ganhos de escala e permita à indústria melhorar os preços dos produtos para o consumidor final", diz Henrique de Campos Jr., gerente de Market & Business Intelligence da Marco Consultora, acrescentando que os notebooks correspondem hoje a cerca de 40% das vendas de computadores no mercado brasileiro.

Nunca a compra deste tipo de equipamento foi tão acessível no País, o melhor índice já apurado para aquisição de um notebook de marca nacional foi de 1,8 salários em março de 2007 e se mantinha estável exigindo investimento de 1,9 salários desde o início de 2008 até janeiro de 2009. O mesmo vale para os notebooks de marcas globais, cujo menor valor apurado foi 2,0 em julho de 2008.

Quando a pesquisa foi realizada pela primeira vez em setembro de 2006 era necessário investir 2,1 salários na aquisição de um notebook nacional e 3,3 salários para um de marca global.

"No Brasil, especificamente, a indústria apostou nos notebooks portáteis para superar a crise, com ofertas de modelos mais acessíveis ao consumidor. As empresas de marcas globais - tanto as que oferecem equipamentos localmente quanto as que fornecem insumos para os fabricantes locais - sustentaram grande parte da flutuação do dólar, o que permitiu a manutenção dos preços no varejo durante o primeiro semestre", diz o coordenador do estudo.

A pesquisa "Índice Marco de Gap Digital" também avalia a acessibilidade no mercado de PCs. Para adquirir um PC de marca nacional o brasileiro investe hoje 1,67 salários, o mesmo que no primeiro semestre de 2009. Já os PCs de marca global são comprados por 1,91 salários, enquanto que no primeiro semestre do ano eram necessários 1,55 salários, alta de 0,36 salários.

"Os desktops, principalmente os de marcas globais, passam a ser um produto de nicho, seja para aplicações de home office, entretenimento - ligado diretamente à TV - ou para pessoas que necessitam de maior capacidade de processamento. Isso faz com que seu preço médio ao consumidor aumente um pouco", afirma Campos Jr.
 


Fonte: PC MAgazine

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar