Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TELEFÔNICA JÁ CUMPRIU EXIGÊNCIAS PARA LIBERAÇÃO DA VENDA DO SPEEDY, DIZ HÉLIO COSTA

14/08/2009

O ministro Hélio Costa (Comunicações) disse nesta quinta-feira (13) que a Telefônica já cumpriu todas as exigências da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para a liberação da venda do Speedy, e que isso deverá ocorrer na próxima semana. Costa disse que conversou com o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, e que ele está "razoavelmente satisfeito com os resultados que foram apresentados pela empresa".

Acompanhe a cronologia de panes nos serviços da Telefônica

"Eu acho que a questão está resolvida, mas a palavra final é da Anatel", afirmou Costa.

Roosewelt Pinheiro -20.nov.08/ABr
´Hélio
Hélio Costa diz que Telefônica já cumpriu metas da Anatel para liberação do Speedy

Antes da liberação da venda do Speedy, porém, o assunto tem que ser votado na reunião do conselho diretor da agência.

Segundo Costa, a Anatel deverá liberar a venda gradualmente, para evitar congestionamentos. Costa disse que fez um apelo ao presidente da agência para que a questão seja resolvida rapidamente para evitar demissões no setor.

O ministro disse que foi procurado pelo colega Carlos Lupi (Trabalho), que está preocupado com a situação.

"Está começando a trazer uma preocupação social, com respeito à possibilidade de dispensa de empregados do setor, empresas que estão chegando no limite de paralisação enquanto esta situação não está resolvida", completou.

No dia 22 de junho, a medida cautelar emitida pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) suspendeu as vendas do Speedy devido às sucessivas panes no serviço de banda larga fornecido pela empresa.

Quase um mês depois, a companhia anunciou, em entrevista coletiva com a cúpula da companhia, que a primeira parte do seu plano de trabalho para reestruturação do serviço de banda larga Speedy fora concluída. A partir disso, o usuário teria estabilidade na conexão, nas palavras do diretor executivo de rede da companhia, Fabio Michelli. Além do planejamento técnico, a empresa também articulava mudanças com o intuito de melhorar as vendas e o atendimento ao cliente.

Na ocasião, a Telefônica também informou que iria pleitear a retomada das vendas do Speedy. O pedido, entretanto, foi rejeitado pela Anatel, sob alegação de que a compra de novos equipamentos e realização de investimentos ainda não foram suficientes.

As sucessivas panes no Speedy derrubaram as vendas do serviço de banda larga da Telefônica no segundo trimestre de 2009, segundo reportagem do jornal "Valor Econômico". O período (abril a junho) reflete sobretudo o impacto das falhas, já que a suspensão de vendas feita pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) pegou apenas oito dias do trimestre em questão.
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar