Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ENTIDADE DE GRAVADORAS DISCUTE ORKUT

27/07/2009

Entidade de gravadoras discute orkut
 
 O presidente da Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), Paulo Rosa, concedeu uma entrevista ao INFO Online para comentar sobre a proteção aos direitos autorais na internet brasileira.

Um dos principais militantes na causa de ajuste dos artigos que tratam da propriedade intelectual no país, Paulo Rosa comentou sobre a atuação e o combate ao compartilhamento de arquivos que ele considera ilegais no orkut.
 

Formado em direito, o responsável por presidir a ABPD foi diretor geral da Universal Music no Brasil, de 1995 a 1999, e da BMG de Portugal e na sede mexicana de 2000 a 2001. Ele também dirigiu o canal Telecine em 1999 e possui no currículo a produção de numerosos shows e eventos, como as edições de 1994 e 1995 do Hollywood Rock.

Rosa está liderando a ABPD desde 2003 e tem como um dos objetivos auxiliar o combate à reprodução não autorizada de gravações musicais, por meio da APCM (Associação Antipirataria de Cinema e Música).

A APCM surgiu em 2007, a partir da união da ADEPI (Associação de Defesa da Propriedade Intelectual) com APDIF (Associação Protetora dos Direitos Intelectuais Fonográficos) ? esta, fundada em 1995 pela ABPD.

Confira abaixo as respostas:

INFO - A APCM retirou a comunidade Discografias do ar no começo de 2009. Hoje, já há um segunda versão da mesma, e outras derivadas no orkut. O que vocês pensam disso e quais as medidas adotadas agora?

Paulo Rosa - A APCM não "retirou" nenhuma comunidade, isso só poderia ser feito pelo próprio Google como administrador do orkut. O que houve na verdade é que como resultado de nossas notificações de links ilegais para conteúdo protegido de nossos associados, e eventual retirada por parte do Google de vários destes links, os próprios moderadores da comunidade "Discografias" decidiram encerrar suas atividades. O fato de a Comunidade estar de volta em outra versão não é surpresa e se as infrações continuarem vamos seguir com o trabalho que normalmente fazemos em defesa do conteúdo de nossos associados, contando sempre com a cooperação do Google, como empresa responsável que é.

Qual é a postura da APCM em relação ao orkut?

A rede social em si não é o problema. Comunidades que aí se instalam com o único fim de disponibilizar ilegalmente conteúdo de terceiros sim.

Na Europa, é comum associações de proteção aos direitos autorais, como a holandesa BREIN, entrarem com ações judiciais para determinar o bloqueio a alguns sites de torrents. Há alguma iniciativa parecida em andamento por parte de vocês? 

Não por enquanto.

Grande parte dos sites que vocês retiram do ar, como o Seriesbr e Legendas TV, acabam voltando à internet. O que acham da impressão de que a retirada não é eficaz?

Independentemente de ser eficaz ou permanente, vamos continuar fazendo o que for possível para defender os direitos dos nossos associados, dentro dos limites legais.

Quais os projetos futuros da APCM em relação a internet e indústria fonográfica no Brasil?

Seguir inovando no combate à pirataria, tanto no mundo físico como no ambiente online.
 
 
 
 
Fonte: Info Online

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar