Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PCS COM TELA SENSÍVEL A TOQUE SÃO MAIS HYPE QUE REALIDADE

05/06/2009

A tecnologia de telas sensíveis ao toque, ou touchscreen, vem arrebatando o mercado de consumo de eletrônicos, com diferentes marcas esperando sair com um novo iPhone. Mas esses novos aparelhos poderão se tornar pouco mais além de muito hype, especialmente no mercado de PCs.

Grandes fabricantes de PCs e celulares como Nokia, Research in Motion (RIM), HP e Asustek já lançaram produtos com touchscreen, buscando ganhar na onda do que esperam ser a próxima explosão do mercado.

É esperado que o iminente lançamento do sistema operacional Windows 7, da Microsoft, dê ainda mais estímulo à tecnologia, ao trazer um software com capacidade de usá-la para milhões de lares e escritórios.

Mas a maioria dos consumidores pode não ver grande diferença entre PCs de touchscreen e seus computadores normais, e a tecnologia provavelmente não irá além dos aparelhos celulares.

"Não creio que será a próxima explosão, de forma alguma, mas apenas que mais e mais marcas irão entrar na onda", disse o analista Jay Chou, da empresa de pesquisa IDC.

As telas touchscreen, que antigamente só eram vistas em caixas de supermercado, em balcões de aeroportos e em bancos, saltaram para o protagonismo no mercado de consumo graças ao iPhone da Apple, que inspirou uma série de produtos similares.

Tentativas passadas de fabricantes de PCs de usar a tecnologia touchscreen falharam --com produtos como o tablet PC, que não conseguiu sucesso quando foi lançado pela primeira vez, há mais de uma década, e que agora vê sua popularidade cair.

Os antiquados teclado e mouse ainda podem ser a melhor forma de se usar um PC, uma vez que os hábitos de interação de usuários são notoriamente difíceis de mudar, especialmente se houver uma carência de suporte em softwares.

"Acho que parece muito hype", afirmou a analista Tracy Tsai, da Gartner. "Me parece pouco prático uma pessoa usar touchscreen no PC, e quando se está usando um equipamento tão grande, a tecnologia realmente acrescenta pouco valor à experiência como um todo."
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar