Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

DÓLAR EM QUEDA: PREÇO DE PC SE MANTÉM ESTÁVEL, AFIRMAM ESPECIALISTAS

02/06/2009

Na semana passada, o dólar voltou a cruzar a linha dos dois reais, dando sinais de que o fantasma da crise econômica começa a se afastar. Nesta segunda-feira (01/06), a moeda norte-americana chegou a ser cotada em 1,94 real.

O dólar tem grande impacto no mercado de eletroeletrônicos no Brasil, afinal, quando o produto final não vem completo do exterior, boa parte dos componentes utilizados para a fabricação é importada. Logo, a esperança é que, se a atual queda do dólar se mostrar uma constante, a tendência seria vermos os preços no mercado de tecnologia cair.


O diretor de pesquisas da consultoria IT Data, Ivair Rodrigues, afirma que, ao menos desta vez, a queda do dólar não será sentida pelo consumidor final tão cedo, pois ela vai apenas equilibrar a alta nos preços do setor, puxada pelo aumento no preço do setor de semicondutores.

"Devido à grande queda na demanda, a indústria de semicondutores aumentou seus preços mundialmente, como forma de sobrevivência. Logo, chips de memória e discos rígidos, por exemplo, vão ficar mais caros?, explicou Rodrigues. O dólar mais baixo vai ajudar, mas apenas a contrabalancear o aumento no preço dos componentes?, completou.

O analista de mercado da consultoria IDC Brasil, Luciano Crippa, diz que ainda é muito cedo para garantir que haverá também uma queda nos preços de eletroeletrônicos no mercado nacional, pois o rompimento na barreira dos 2,10 reais é muito recente.

?Mesmo com o dólar caindo diariamente, apesar de ser bom sinal, ainda é um cenário de instabilidade. Os fabricantes vão ao exterior fazer suas compras com a cotação a 2 reais e quando o produto chega, 30 dias depois, por exemplo, o dólar pode ter voltado a 2,20?, exemplificou o analista.

Crippa aponta que os fabricantes estão analisando essa movimentação no mercado para ver como isso vai impactar a linha de produção no Brasil. Para ele, se o câmbio fosse o único critério que contasse, os preços levariam cerca de 30 a 45 dias para começar a refletirem a queda do dólar. O especialista acredita que o mercado também está receoso com a questão da demanda.

?Se eu diminuir meu preço, o consumidor vai conseguir assimilar minha oferta, ou seja, tem capacidade de comprar o que eu produzir? Além disso, se o fabricante diminuiu a produção por causa na queda das vendas e uma redução nos preços aumente repentinamente a procura, ele irá conseguir produzir o suficiente??, apontou o Crippa.

Os fabricantes Positivo Informática, HP e Dell, que lideram o mercado brasileiro de PCs, foram procurados pela reportagem do IDG Now!, mas não se pronunciaram a respeito do reflexo da queda do dólar nos preços de seus produtos.
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar