Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

VETO A MULTIPROGRAMAÇÃO IRRITA EMISSORAS

15/05/2009

Veto a multiprogramação irrita emissoras
 
 
A proibição das emissoras comerciais de explorar recursos de multiprogramação antes do governo regulamentar o tema está irritando canais de TV em todo o país.

A multiprogramação é um recurso disponível na TV digital usada no Brasil que, na prática, permite às emissoras dividir em 4 faixas seu sinal e disparar quatro grades diferentes de programação.
 

Assim, é possível às emissoras manter além do canal principal, três outros com programações distintas, como reprises em horários alternativos, um canal só com filmes ou só com programas de jornalismo e assim por diante.

Uma portaria do Ministério das Comunicações, no entanto, proíbe as TVs de explorar a multiprogramação até que a pasta defina regras para isso. As exceções são as TVs não comerciais, como TV Senado e TV Justiça, por exemplo.

Em São Paulo, a rede Cultura testou a multiprogramação, mas teve que cancelá-la após o ministro das Comunicações ameaçar lacrar os equipamentos da emissora paulista. Após negociações, no entanto, a Cultura recebeu uma autorização excepcional para explorar a tecnologia, uma vez que a rede não tem caráter prioritariamente comercial.
 
Esta semana a Associação Brasileira de Radiodifusores (Abra) divulgou nota criticando a decisão do Ministério. A Abra classificou como ?inadequada? a medida do governo.
 

?O padrão escolhido para a TV digital, a partir do japonês e adaptado às necessidades do Brasil, tem como principal característica o multicanal. Não faz sentido proibir a utilização de uma das características principais do sistema brasileiro de TV digital?, diz a nota, reproduzida no site da Abra.

O Ministério das Comunicações argumenta que a proibição é importante para organizar o setor, sob o risco de gerar confusão e perda de controle do uso das freqüências de TV digital no Brasil. Não há previsão para o Ministério definir uma regulação para a tecnologia.
 
 
 
Fonte: Info

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar