Página Inicial
  • Login
  • Esqueci a Senha
  • Lista de Compras
  • Notícias
  • Humor
  • Cadastro



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MOTOROLA APRESENTA SUA NOVA LINHA MOTO G PARA OS EUA

1/11/2021

Normalmente, os smartphones não ganham muito destaque na CES, mas isso não a Motorola de atualizar sua linha Moto G nos EUA. Além disso, a empresa lançou um novo celular com 5G e preço não tão alto. Assim, a marca reformulou toda sua linha abaixo de US$ 400.

Vale dizer que, nos últimos anos, a Motorola tornou a linha Moto G nos EUA independente do resto do mundo. Então, nem todos os aparelhos que são lançados por lá chegam por aqui e vice-versa, e pode haver mudanças nas especificações entre mercados. De qualquer forma, é bom dar uma olhada na estratégia da marca por lá, para saber o que ela anda preparando.

O Moto G Play é o mais barato, custando a partir de US$ 170. Ele é bem básico, mas tem o essencial: tela HD (não FullHD) de 1600 x 720 pixels e 6,5 polegadas, chip Qualcomm Snapdragon 460, 3 GV de RAM, 32 GB de armazenamento, um slot para cartão microSD e uma bateria bem grande, de 5.000 mAh.

Ele também um sensor de impressão digital embutido no logotipo da Motorola na parte traseira. A câmera é dupla, mas funciona com uma só: o sensor principal tem 13 megapixels e o sensor secundário de 2 megapixels é de profundidade, para ajudar nas fotos no modo retrato

E para completar, o Moto G Play tem uma parte traseira de plástico fosco com alguma resistência à água, para proteção contra pequenos respingos ou chuva.

Em seguida, chegamos ao que pode ser meu telefone favorito do grupo, o Moto G Power. Ele mantém a mesma bateria de 5.000 mAh usada no Moto G Play, mas adiciona especificações um pouco melhores. Ele está disponível em duas configurações: um modelo de US$ 200 com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, e um de US$ 250 com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento.

Os Moto mais caros agora têm câmera selfie em um furinho, enquanto o Moto G Play (canto superior esquerdo) ainda conta com um entalhe. Foto: Sam Rutherford

Nas duas, o G Power também possui um processador Qualcomm Snapdragon 662, uma tela ligeiramente maior de 6,6 polegadas e resolução de 1600 x 720 pixels, uma bandeja para cartão microSD e três câmeras traseiras (48 MP principal, 2 MP macro e 2 MP de profundidade). Para mim, o G Power tem o melhor custo-benefício e é capaz de cobrir a maioria das necessidades. Eu só trocaria essa câmera macro por uma ultrawide ou zoom.

Depois, há o Moto G Stylus, que começa com US$ 300 e faz o possível para ser uma alternativa muito mais acessível à linha Galaxy Note. Ele vem com uma caneta stylus, que fica convenientemente escondida dentro de um slot na lateral do telefone, mas ela não tem botões ou recursos adicionais como as S-Pens da Samsung.

Como o próprio nome indica, o Moto G Stylus vem com uma caneta. Foto: Sam Rutherford

O G Stylus é pensado para quem desenha ou faz muitas anotações no celular. O aplicativo Moto Notes foi atualizado, e o aparelho conta com uma tela FullHD+ de 6,8 polegadas. O desempenho também ganhou reforço graças ao chip Snapdragon 678. Ele também conta com 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. A bateria, porém, é menor, com 4.000 mAh. Como o G Stylus tem uma tela maior também, a duração longe da tomada deve ser consideravelmente mais curta.

Na parte de trás, ele tem três câmeras de verdade: uma principal de 48 MP, uma ultrawide de 8 MP e uma câmera macro de 2 MP (mais uma quarta que funciona como sensor de profundidade). E, em vez de um sensor de impressão digital montado na parte traseira, o G Power e o G Stylus têm leitores de impressão digital instalados na lateral direita, localizados logo abaixo do botão liga/desliga e do botão de volume.

O Moto One 5G Ace (à direita) tem uma qualidade de construção um pouco melhor, mas o mesmo design básico do Moto G Power (à esquerda). Foto: Sam Rutherford

Finalmente, embora tecnicamente não faça parte da família Moto G, há também o novo Moto One 5G Ace. A partir de US$ 400, o Moto One 5G Ace é agora o aparelho com 5G mais barato da Motorola nos EUA. Ele custa US$ 100 menos do que o Moto One 5G original, lançado no segundo semestre de 2020. Por outro lado, ele tem suporte apenas ao 5G sub-6, deixando de lado o padrão mmWave, que é mais rápido.

Tirando este pequeno detalhe, o resto das especificações do Moto One 5G Ace parecem muito boas. Ele vem com um chip Snapdragon 750G, 4 GB de RAM, 64 GB de armazenamento e uma bateria grande de 5.000 mAh. Há ainda uma segunda versão de 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento.

Na frente, ele conta com uma tela FullHD+ de 6,7 polegadas e 2400 x 1080 pixels de resolução e uma câmera selfie de 16 MP (a mesma do G Stylus). Na parte traseira, ele vem com um conjunto de câmeras semelhante ao do G Stylus, com uma câmera principal de 48 MP, uma ultrawide de 8 MP e uma macro de 2 MP.

Todo Moto (pelo menos esses) tem entrada para fone de ouvido. Foto: Sam Rutherford

Ao todo, com o novo Moto One 5G Ace e a família Moto G, parece que a Motorola está procurando conquistar mais terreno no setor de aparelhos baratos e intermediários. Pode até ter sido desnecessário fazer tantos aparelhos, já que, olhando as especificações e recursos, não há muita diferença entre eles.

Mas existem algumas consistências agradáveis ​​em todos esses telefones, incluindo conector de áudio de 3,5 mm, Android quase puro e melhorias em muitos aplicativos e recursos básicos, como o modo de câmera noturna.

Foto: Sam Rutherford

Por outro lado, só o Moto One 5G Ace tem NFC e todos eles rodam Android 10 ainda — a Motorola promete atualização para Android 11, mas não dá datas nem garante outras atualizações futuras.

Os novos aparelhos chegam às lojas dos EUA em 14 de janeiro.

 

Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar