Página Inicial
  • Login
  • Esqueci a Senha
  • Lista de Compras
  • Notícias
  • Humor
  • Cadastro



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

O QUE A NASA TEM A VER COM O SETOR DE TRANSPORTES? MAIS DO QUE VOCÊ IMAGINA!

23/03/2020

Quem acompanha as análises de automóveis aqui no Canaltech já sabe que os carros estão cada vez mais tecnológicos, com muitos itens atrelados à conectividade, segurança, dirigibilidade e conforto. Além disso, temos uma série de outros veículos que também contam com tecnologias cada vez mais inovadoras e fazem parte do nosso dia a dia de maneira muito natural e presente, como aviões e drones.

A modernização dos transportes caminha a passos largos rumo à eletrificação e à automação, com carros elétricos e híbridos, aviões cada vez menos poluentes e eficientes e, claro, veículos autônomos.

E se disséssemos que a NASA tem papel importante em boa parte dessas melhorias e inovações? A agência espacial destacou cinco situações que mostram como ela interferiu no mercado de transportes e ajudou as empresas e montadoras a tornarem seus produtos mais seguros e eficientes.

1. Dados para veículos autônomos

(Imagem: Silicon Beat)

Para que os automóveis sejam completamente autônomos, eles precisam ser capazes de enxergar e avaliar o que acontece no ambiente, como a presença de pessoas, veículos e dos sinais de trânsito. Isso é possível com a ajuda de câmeras e de programas que são capazes de detectar obstáculos.

 

Segundo a NASA e o engenheiro Farzin Amzajerdian, essa tecnologia é bem parecida com câmeras 3D utilizada em módulos lunares. Segundo ele, esses dispositivos nos automóveis detectam o alcance da luz e enviam sinais de laser para o cálculo da distância e dos obstáculos. A NASA vendeu essa tecnologia para parceiros que estão investindo em carros autônomos — mas não chegou a dizer os nomes dessas companhias.

2. Controle de tráfego aéreo 

Para ajudar os controladores de tráfego aéreo a conciliarem as atividades dos aviões e drones, a NASA parece estar trabalhando em soluções para conter esse possível problema — uma vez que o número de drones não para de crescer. Segundo a agência, há um trabalho de automatização e otimização do controle do espaço aéreo junto à FAA (Federal Aviation Administration, órgão que regula a aviação nos EUA) e empresas privadas para criar uma tecnologia necessária para gerenciar esse possível aumento de voos, evitando futuros colapsos do espaço aéreo.

Uma das empresas que conversaram com a NASA construiu um sistema que pode arquivar planos de voo com mais facilidade, visualizar o espaço aéreo, obter autorizações de pouso em áreas restritas e outras atividades, tudo de maneira automática.

3. Modelagem de software para táxis voadores

(Imagem: Uber)

Algumas empresas, como a Uber, já trabalham com a possibilidade real dos chamados táxis voadores. Segundo a NASA, há em curso um trabalho com a empresa para a criação de um software que gera novos projetos de aeronaves e ajuda os engenheiros a descobrir o que funciona e como pode ser construído o melhor veículo possível.

Pelo fato de táxis voadores serem veículos completamente novos, não se sabe muito bem como será o comportamento dos produtos com a alta variedade de passageiros. Por isso, esse sistema pode facilitar a produção do carro voador de modo que ele possa aguentar diferentes pesos e consumos de combustível, por exemplo.

4. Controles manuais mais ágeis

(Foto: Fluidity Technologies)

Segundo a NASA, ela já ajudou no desenvolvimento de diversos joysticks ao logo dos anos, seja para aviões, seja para videogames. A agência explica que teve de fazer isso por conta dos próprios astronautas, já que, com aqueles trajes pesados e com pouca mobilidade, o controle dos módulos e demais naves precisa ser facilitado.

Um ex-astronauta, Scott Parazynski, adquiriu uma vasta experiência treinando e usando joysticks da NASA para trabalhos como o de manobrar o braço robótico da Estação Espacial Internacional. Ele percebeu que tecnologia semelhante poderia ter ainda mais impacto na Terra, como, por exemplo, para o uso de braços robóticos para cirurgias.

Além disso, o mercado de drones também pode ser beneficiado, já que, com controles mais precisos, é possível utilizar essas pequenas aeronaves para gravar vídeos melhores, inspecionar locais de risco e avaliar danos após catástrofes naturais.

5. Visão aérea das plantações

A NASA, em breve, lançará para Marte o Mars Helicopter, um drone superleve que será capaz de captar imagens aéreas do Planeta Vermelho. O drone marciano chegará lá junto ao rover Perseverance, cujo lançamento deve acontecer em 2020. Esse "helicóptero", porém, também pode ter missões — mais simples, é verdade — aqui na Terra.

Por ser leve e eficiente, com peso de apenas 1,5 kg e asas rotativas que giram 3 mil vezes por minuto, essa pequena aeronave pode voar bem rápido e alto, sendo capaz de captar imagens de colheitas e transmiti-las aos agricultores para que eles possam fazer avaliações mais precisas, direcionando melhor seus recursos e insumos, como água e fertilizantes. O mais interessante é que este drone (tal qual o Mars Helicopter) é movido a energia solar.

 

 

Fonte: CanalTech

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar