Página Inicial
  • Login
  • Esqueci a Senha
  • Lista de Compras
  • Notícias
  • Humor
  • Cadastro



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

O QUE SÃO STALKERS? SAIBA COMO SE LIVRAR DELES

12/08/2019

Caso você algum dia tenha se sentido observado, vigiado ou invadido, com certeza entende o quão desconfortável isso pode ser. O ato de perseguir alguém tem nome - stalking - e, em muitos lugares, é um crime passível de penas sérias.

A prática de stalkear alguém é uma forma de violência e pode afetar todas as áreas da vida das vítimas que sofrem com ela. Essa perseguição se dá de diversas maneiras: através de ligações, envio de SMS, invasão de contas nas redes sociais (o que também é conhecido como cyberstalking), constrangimento e perseguição em locais públicos e também ao endereço residencial, divulgação de boatos, entre outras atitudes que podem ser causadas por paixão doentia (erotomania), violência doméstica e ódio à vítima.

O stalker é um criminoso?

Em alguns lugares do mundo, somente o ato de seguir alguém e preocupar-se obsessivamente com a rotina dessa pessoa já pode ser considerado crime, como ocorre nos Estados Unidos. Já, em outros países, como no Brasil, o stalker comete uma contravenção penal, que é passível de pena de 15 dias na prisão ou multa. No entanto, entende-se que, quando o stalking é acompanhado por algum outro tipo de lesão física ou psicológica à vítima, como coação, agressão ou até tentativa de homicídio, a prática torna-se passível de uma punição mais severa.

No entanto, há alguns projetos de lei que buscam punir o stalker com uma pena severa, mesmo que ele não pratique nenhum outro tipo de lesão à vítima. Nos Estados Unidos, a prática passou a ser definida como um crime grave por conta das relações doentias que eram estabelecidas entre celebridades e seus fãs.

Perseguir alguém é considerado crime grave em muitos lugares do mundo (Foto: Getty Images)

Cyberstalking

A Internet pode potencializar ainda mais os impactos dos stalkers na vida de suas vítimas, uma vez que permite o acesso a muitas informações. Para essa prática, é dado o nome de cyberstalking. As redes sociais, por exemplo, costumam ser uma ferramenta útil para quem deseja saber detalhes sobre a vida, rotina e comportamento de alguém. Embora as configurações de privacidade diminuam os impactos causados pela exposição na web, ainda assim é possível que certas informações permaneçam visíveis para todos na lista de amigos.

Os recursos de geolocalização presentes em algumas redes, como o Instagram e o Twitter, também podem ser muito perigosos, pois mostram exatamente onde uma pessoa está, publicamente. Assim, é necessário sempre utilizá-los com cautela, filtrando quem pode ter acesso a certas informações.

Recentemente, a Google Play Store tirou do ar sete aplicativos que davam acesso às mensagens, ligações e até à localização das pessoas espionadas. Eles podiam ser baixados gratuitamente e, para que funcionassem, bastava que o espião os baixasse também no celular de sua vítima. Seus desenvolvedores os descreviam como útil para controlar a produção de uma empresa e também manter crianças protegidas na Internet. No entanto, nas mãos erradas, os danos causados poderiam ser muito maiores do que qualquer pretensão de segurança.

No entanto, há alguns projetos de lei que buscam punir o stalker com uma pena severa, mesmo que ele não pratique nenhum outro tipo de lesão à vítima. Nos Estados Unidos, a prática passou a ser definida como um crime grave por conta das relações doentias que eram estabelecidas entre celebridades e seus fãs.

Perseguir alguém é considerado crime grave em muitos lugares do mundo (Foto: Getty Images)

Cyberstalking

A Internet pode potencializar ainda mais os impactos dos stalkers na vida de suas vítimas, uma vez que permite o acesso a muitas informações. Para essa prática, é dado o nome de cyberstalking. As redes sociais, por exemplo, costumam ser uma ferramenta útil para quem deseja saber detalhes sobre a vida, rotina e comportamento de alguém. Embora as configurações de privacidade diminuam os impactos causados pela exposição na web, ainda assim é possível que certas informações permaneçam visíveis para todos na lista de amigos.

Os recursos de geolocalização presentes em algumas redes, como o Instagram e o Twitter, também podem ser muito perigosos, pois mostram exatamente onde uma pessoa está, publicamente. Assim, é necessário sempre utilizá-los com cautela, filtrando quem pode ter acesso a certas informações.

Recentemente, a Google Play Store tirou do ar sete aplicativos que davam acesso às mensagens, ligações e até à localização das pessoas espionadas. Eles podiam ser baixados gratuitamente e, para que funcionassem, bastava que o espião os baixasse também no celular de sua vítima. Seus desenvolvedores os descreviam como útil para controlar a produção de uma empresa e também manter crianças protegidas na Internet. No entanto, nas mãos erradas, os danos causados poderiam ser muito maiores do que qualquer pretensão de segurança. 

Tipos de perseguidores

Os especialistas de diversas áreas, sobretudo da psicologia, puderam traçar alguns tipos de stalkers ao longo do tempo. São eles: o circustancial, o sociopata e o fixador.

O primeiro, como diz o nome, é levado a perseguir alguém por conta de algumas circunstâncias, que podem ser um impacto emocional ou até fragilidades momentâneas, como um término de namoro. Embora esse tipo pareça menos perigoso por algum tempo, os impactos causados por suas atitudes podem ser terríveis. Algumas vítimas, por exemplo, podem acabar desenvolvendo transtornos psicológicos por conta do período em que foram perseguidas.

O tipo sociopata passa a vida assediando e perseguindo pessoas que cruzam o seu caminho, e pode ser muito perigoso para suas vítimas. Como todo sociopata, ele não se preocupa em agir de acordo com a lei ou qualquer tipo de lógica, o que pode trazer sérias consequências para suas vítimas. Caso haja algum traço de sociopatia em seu stalker, colete provas e o denuncie.

Já, o terceiro tipo, o fixador, torna alguém o centro de toda a sua atenção e vive somente em função dessa pessoa. Esse tipo é comum em relacionamentos abusivos, uma vez que o stalker passa a impor sua presença à vítima o tempo inteiro e a vê como sua propriedade.

Stalkers podem ser perigosos e inconsequentes (Foto: alriyadh.com)

Como se livrar de um stalker

Caso você sinta que está sendo vítima de um stalker, a primeira coisa a se fazer é contar para pessoas próximas e confiáveis para que elas lhe façam companhia. Não responda as mensagens ou investidas de seu stalker, pois até mesmo palavras negativas podem parecer uma deixa para uma possível relação. Não devolva presentes ou demonstre estar afetado(a) por suas atitudes, pois isso lhe dará força para continuar com seu comportamento.

Se suspeitar que seu stalker está lhe seguindo, peça intervenção policial imediatamente. Não volte para a casa e nem visite alguém conhecido nesse caso, pois isso poderá dar mais informações para seu perseguidor. Se as perseguições também ocorrerem através do telefone, troque de número o mais rápido possível.

Nas redes sociais, jamais ative a sua localização nos posts. Evite postar fotos com uniformes de trabalho ou escola ou que mostram a sua casa e a de conhecidos. Procure ocultar informações como o seu e-mail, número de telefone, entre outras. Caso a sua conta seja comercial, procure fazer um e-mail de sua marca, sem utilizá-lo para fins pessoais. O mesmo deve acontecer com o seu número.

Essas atitudes podem, de certa forma, inibir o seu stalker até que ele finalmente desista de lhe perseguir. No entanto, é necessário manter-se alerta e, a qualquer sinal, solicitar a ajuda de familiares e amigos. Lembre-se sempre de que as vítimas de stalkers estão amparadas por lei.
 
 
 
Fonte: Canaltech 

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar