Página Inicial
  • Login
  • Esqueci a Senha
  • Lista de Compras
  • Notícias
  • Humor
  • Cadastro



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

A EVOLUÇÃO PARA O BANCO DO FUTURO SERÁ POR MEIO DO COGNITIVE BANKING

10/06/2019

De forma simplificada, ele aproveita o poder da Inteligência Artificial (IA) para transformar como os serviços bancários são criados

Cognitive Banking, considerado um dos quatro pilares do Exponential Banking, traz inúmeras mudança no setor financeiro. De forma simplificada, ele aproveita o poder da Inteligência Artificial (IA) para transformar como os serviços bancários são criados, entregues e gerenciados, melhorar a experiência do cliente e manter a excelência operacional, abrindo assim as portas para novas, e mais lucrativas, oportunidades.

Além disso, o Cognitive Banking influencia o mundo do gerenciamento de dados. Ao integrar e analisar informações que são relevantes para um cliente individual em um único momento, os bancos podem oferecer recomendações e conselhos personalizados, aumentando a eficiência operacional. 
 
 
 

A importância das tecnologias cognitivas

As tecnologias cognitivas, como machine learning e deep learning, possuem um papel muito importante na construção desses bancos do futuro. Elas permitem que as instituições se aprofundem e ultrapassem os limites tradicionais até então estabelecidos, anunciando uma nova era de experiência do cliente. Ao alinhar os serviços bancários com as necessidades de cada consumidor, o Cognitive Banking oferece benefícios aos bancos e a seus clientes.

Esse novo modelo está em forte contraste com os modelos tradicionais de processamento bancário, baseados em regras e parâmetros pré-configurados. Com as tecnologias cognitivas, os bancos conseguem entrar na jornada do cliente muito antes do que era possível anteriormente, antecipando possíveis compras e conseguindo oferecer produtos sob medida.

O banco, portanto, passa de uma posição na qual apenas reage a uma situação iniciada pelo cliente para uma na qual antecipa as necessidades, oferecendo-lhe, por exemplo, um empréstimo personalizado para comprar um carro com base em dados financeiros e não-financeiros. Chamamos isso de mudança de uma abordagem passiva para uma ativa.

Aumento de relevância e eficiência

À medida que as necessidades financeiras emergentes são previstas com maior rapidez e precisão, os bancos podem passar a oferecer, proativamente, serviços relevantes quando e onde forem necessários. Por exemplo, os empréstimos para carros podem ser oferecidos enquanto o cliente está na concessionária ou, em caso de empréstimos para habitação, oferecidos quando um comprador em potencial está vendo uma casa.

Da mesma forma, conselhos de investimento e poupança podem ser oferecidos, levando em consideração as circunstâncias e metas financeiras reais de um cliente. O Cognitive Banking pode remover muitas das suposições da tomada de decisões financeiras, melhorando e agilizando esse processo.

As tecnologias cognitivas também podem aumentar a eficiência do back office, aumentando a automação, reduzindo erros e agrupando dados importantes de fontes diferentes, incluindo e-mails e históricos de registros de clientes. Em muitos casos, a análise pode ser realizada em tempo real - ou quase -, o que torna o banco mais ágil, simplificado e responsivo.

Personalização em massa de serviços bancários
 

Com o crescimento do Open Banking, as instituições financeiras precisam desenvolver e melhorar seus serviços pessoais. O Cognitive Banking acelera a centralidade do cliente e estabelece o banco como um consultor confiável que está sempre disponível quando necessário. Além disso, essas instituições podem criar e otimizar as experiências individuais, reduzindo atrito e aumentando o volume de vendas cruzadas.

Embora as taxas de juros competitivas possam induzir um cliente a comprar um produto financeiro, as entregas de um produto sob medida, em conjunto com uma experiência de qualidade, aumentam a fidelidade do cliente. Na era digital, os produtos e serviços devem ser adaptados para atender exatamente às necessidades do consumidor e, com o tempo, as instituições financeiras podem diversificar seus portfólios e potencialmente oferecer um produto sob medida.
 
 
 
Fonte: Olhar Digital 

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar