Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TUDO O QUE SABEMOS SOBRE OS NOVOS PROCESSADORES DE 8ª GERAÇÃO DA INTEL

03/04/2018

Você será perdoado se estiver confuso a respeito da 8ª geração de processadores Core da Intel. Em outubro de 2017, eu falei que a 8ª geração “era como um monstrinho Frankenstein” e isso continua sendo verdade. A geração é uma miscelânea de microarquiteturas remendadas em um único termo e os processadores foram lançados aos poucos durante os últimos sete meses. Agora, outra rodada de novos chips foram anunciados – menos de uma semana depois da última leva.

É uma bagunça de CPUs com uma série de letrinhas acompanhadas de números para cada modelo. Então a gente vai tentar organizar as coisas por aqui.

O que tem de novo?

A Intel anunciou nesta terça-feira (3) uma nova série de CPUs voltadas para laptops. Todas essas CPUs são baseadas na microarquitetura Coffee Lake, que foi anunciada em outubro de 2017 – isso significa que não há solução de hardware incorporada para as falhas Meltdown e Spectre e que a correção virá com uma atualização de software.

Embora todos os novos processadores sejam baseados no Coffee Lake – são voltados para dispositivos móveis (laptops) e  supostamente muito rápido s– eles podem ser separados em três tipos: business, performance e baixo consumo de energia.

Vamos começar com as CPUs de baixo consumo de energia. Esses processadores foram projetados para se juntar às CPUs Kaby Lake R anunciadas em agosto do ano passado. Eles possuem uma Energia Térmica de Projeto maior (TDP, na sigla em inglês), o que significa que não serão incorporados em notebooks e ultrabooks superfinos que se popularizaram nos últimos anos. (Falaremos mais sobre o TDP depois).

A Intel não anunciou quais fabricantes de notebooks venderão produtos com esses novos chips, mas geralmente esse tipo de CPU é encontrado em produtos como o Apple Macbook Pro ou Dell XPS 13.

As novas CPUs 28W U-series da Intel. Esses chips serão encontrados em laptops populares. Imagem: Intel

 

Agora vamos em frente com os dois outros tipos de CPUs. Existem as H-series e as M-series Xeon. Todas elas possuem um TDP ainda maior do que a U-series que falamos há pouco. Os processadores i7, i9 e Xeon da H-series possuem todos 6 cores – o que é algo inédito para a Intel no espaço móvel (o i5 H-series tem 4 cores). Quanto mais cores (núcleos), mais operações simultâneas ele consegue realizar, o que significa que você faz as coisas mais rápido.

As CPUs H-series são destinadas para laptops gamers e outros produtos maiores (como notebooks de 15 polegadas). Isso significa que você o encontrará em produtos como os da MSI e Alienware.

Duas das CPUs H-series e ambas CPUs M-series Xeon possuem também a tecnologia vPro da Intel. A Intel vPro é uma tecnologia embutida no chip para permitir que departamentos de TI gerenciem dispositivos remotamente com mais facilidade. Consequentemente, esses processadores serão encontrados em laptops profissionais (de 15 polegadas ou mais), como as linhas Dell Precision, Lenovo ThinkPad e HP ZBook.

Os outros novos processadores móveis. Aqueles com o vPro ativado são voltados para estações de trabalho portáveis, enquanto aqueles que não contam com o vPro devem ser encontrados em laptops gamer. Imagem: Intel

 

A Intel também anunciou uma nova série de CPUs de “baixo consumo de energia” para desktops. Também baseados no Coffee Lake, esses processadores encerram as ofertas da Intel para consumidores gerais. Eles estão divididos em dois tipos, as CPUs padrão de 65W sem nenhuma letra no final de seus nomes, e as novas CPUs T-series 35W que serão ótimas para servidores caseiros, redes incorporadas a dispositivos de armazenamento e PCs home theater – bem como torres desktop mais baratas como as que você encontra em bibliotecas locais ou escritórios.

O que diabos é Energia Térmica de Projeto (TDP), afinal?

Energia Térmica de Projeto, ou TDP, é um termo que define o limite térmico de um processador. Toda CPU e GPU fabricada tem um TDP, mas o número só se torna crucial nos laptops (e alguns desktops especiais).

O TDP de um processador determina em que tipo de dispositivo ele pode ser colocado. Quando maior o TDP, maior a necessidade de resfriamento e energia. Então um processador 45W como o i9-8950HK não pode ser colocado em um ultrabook superfino projetado para chips 15W.

É por isso que a sua linha de laptops favoritos não recebe uma atualização imediata quando uma nova microarquitetura é anunciada. Quando a Intel lançou a 8ª geração, começou apenas com processadores 15W. Tradicionalmente, CPUs 15W são reservados para os notebooks ultrafinos, enquanto que CPUs 28W são encontradas em laptops mainstream como Macbook Pro and Dell XPS 13. No entanto, muitas das fabricantes se mexeram e migraram para os processadores 15W – o novo Dell XPS 13 utiliza os chips anunciados em agosto, de 8ª geração e de 15W.

Qual que é dessas letras nos nomes dos processadores?

Até agora você me viu falar de H-series e U-series e T-series e pode estar se sentimento meio confuso. Especialmente porque a Intel não adere a padrões restritos sobre como nomear as séries – mas via de regra as letras denotam duas coisas.

Primeiro: se é possível fazer overclock na CPU. Segundo: a exigência de TDP e se este é um processador móvel ou para desktops

Se você ver um K no final do nome de um processador, isso significa que é possível fazer overclock. Isso é ótimo se você é uma pessoa que gosta de mexer com essas paradas e quer tirar o máximo de performance possível da CPU – o overclock hoje em dia já não é tão arriscado como já foi, na época em que você poderia fritar o computador inteiro na busca por velocidades maiores.

O i9-8950HK anunciado hoje é um exemplo de CPU possível de se fazer overclock, assim como o i7-8700K anunciado em outubro de 2017. Processadores com a letra K no final tendem a ser exclusivos dos desktops, mas o i9-8950HK é a primeira CPU móvel na 8ª geração que possui a letrinha. Para deixar as coisas um pouco mais confusas, na verdade ele não é o único processador mobile da Intel capaz de overclock. Há também o i7-8809G, que apesar de não ter nenhum K no final do nome, pode realizar o procedimento.

O restante das letras encontradas no final do nome do processador denotam a série a qual pertecem.

As CPUs U-series são para dispositivos portáteis e podem ser encontrados nas variantes 15W e 28W. O primeiro processador da Intel de 8ª geração eram CPUs 15W U-series baseados no Kaby Lake R. O U-series anunciados hoje são de 28W e baseados no Coffee Lake.

As CPUs T-series são para desktops e encontrados apenas em variantes 35W.

As CPUs H-series foram anunciadas hoje e são voltadas para dispositivos portáteis. Todas elas são 45W e provavelmente serão encontradas em laptops gamers e estações de trabalho móveis.

As CPUs G-series foram lançadas na semana passada e anunciadas na CES. Elas vêm em variantes 65W e 100W e incluem GPU da AMD. A primeira máquina a incorporar esses processadores é o Dell XPS 15 2-em-1.

O quão rápidos são esses processadores?

Agora que passamos por todas as informações sobre o que são esses processadores, vamos ao que realmente importa: o quão rápidos eles são.

Todos os processadores são baseados no Coffee Lake, então você pode esperar muitas melhorias de velocidade como vimos em outras CPUs Coffee Lake. Isso significa que, em média, há uma melhoria de 20% em relação às CPUs de 7ª geração com o mesmo TDP.

Todas as novas CPUs também possuem suporte para a Memória Optane, o que significa que os tempos de leitura e escrita nos laptops podem melhorar também. Infelizmente a Intel não ofereceu muitos detalhes sobre a velocidade desses chips em relação a gerações anteriores. Em vez disso, compararam lançamentos com os chips H-series com CPUs de três anos atrás e afirmaram que houve uma melhoria de 88%. No caso dos processadores para desktops, disseram que são cerca de 2,5 vezes mais rápido do que um sistema com cinco anos de idade.

Enquanto isso, a Intel não fez nenhuma afirmação notável de desempenho para os processadores da U-series de 28W. Além disso, os processadores parecem esquisitos, especialmente porque muitos fabricantes de laptops estão se afastando de 28W e adotando 15W nos principais produtos. O que nos deixa imaginando o que será lançado com essas CPUs.

Mas você tem números reais aí?

Temos alguns números – mas eles não oferecem uma imagem completa do potencial de performance, só um gostinho. A MSI nos mandou um GS65 Stealth que possui um i7-8750H junto com uma GPU Nvidia Max-Q 1070. Também tínhamos alguns dos números de quando testamos o MSI GS63VR no ano passado. Ele possuía uma CPU de 7ª de geração i7-7700HQ e GPU Nvidia 1070.

Rodando Civilization VI, o MSI GS65 Stealth renderizava quadros apenas 1 milissegundo mais rápido – não dá nem pra dizer que é melhoria. Mas no Rise of the Tomb Raider testado em 1080p com configurações máximas, ele chegou a 93,9 quadros por segundo – 13 quadros por segundos mais rápido do que o GS63VR.

A máquina também superou laptops mais velhos no benchmark sintético Geekbench 4. Ele fez 5041 pontos no teste single core (que testa a performance de um único núcleo), versos 4250 pontos do GS63VR. E graças a dois cores adicionais, superou a pontuação do GS63VR no multicore também – 18031 versus 12850.

Isso sugere que as melhorias são boas, mas não extremas o suficiente para você querer trocar o computador que comprou no ano passado.

Quando teremos algum produto com essas CPUs?

Laptops com as series H e U começarão a aparecer no mercado americano neste mês e a Acer, MSI, HP e Asus prometerem máquinas para games com a H-series em breve.

Os processadores para desktops começam a serem enviados hoje.
 
 
 
Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar