Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ANALISTA DE SUPORTE TEM SALTO NO SALÁRIO EM SÃO PAULO

31/08/2017

O setor de tecnologia da informação não sofreu tanto impacto da instabilidade política e econômica do Brasil quanto as outras áreas no ano passado, revela o estudo “Remuneração 2017”, da Page Personnel. Os investimentos em tecnologia para melhorias de processos e eficiência seguem nos planos das empresas e os profissionais capazes de entregar as melhores soluções ainda são extremamente bem cotados no mercado.

O relatório da Page Personnel, especializada em recrutamento, aponta que a área de TI tem uma particularidade diferente: é extremamente mutante. Em 12 meses, novas tecnologias foram criadas e as antigas caíram em desuso. Por isso, o profissional que está melhor cotado para TI precisa estar sempre atualizado com o mercado e conhecendo ferramentas novas.

“Ao mesmo tempo, empresas de tecnologia, principalmente as startups, tiveram apoio financeiro de multinacionais e incubadoras. A partir disso, as empresas de TI conseguiram investir em profissionais qualificados. Percebemos que a área de tecnologia teve grandes mudanças e as companhias não utilizam mais projetos de entrega a longo prazo e, sim, um método escalonado e mais rápido. Por isso, agilidade e assertividade nas atuações e decisões são fundamentais para o sucesso do profissional de TI”, detalha Ricardo Basaglia, diretor executivo da Page Personnel.

Segundo a pesquisa, o salário de um analista de suporte pleno, em São Paulo, foi o que obteve maior ganho. Saltou de R$ 3,6 mil no ano passado para até R$ 5,3 mil em 2017. O relatório também aponta que 46% dos profissionais pesquisados tiveram aumento real no salário em relação a 2015, enquanto 52% dos cargos tiveram apenas reajuste pela inflação. Outros 2% tiveram rendimentos menores em relação à pesquisa anterior. Dos 510 cargos analisados pela companhia, 266 apresentaram remuneração semelhante à verificada em 2015. Foi observado também que 235 dos cargos avaliados registraram rendimentos superiores ao verificado no estudo anterior e apenas nove mostraram salários inferiores ao levantamento de 2015.

Para elaborar o estudo, a Page Personnel consultou as informações salariais de 62 mil candidatos de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre e Curitiba. A partir dessa consulta, a empresa conseguiu traçar a remuneração mensal fixa de 510 cargos em dez setores, listados em faixas salariais mensais fixas que variam de acordo com a experiência do profissional (júnior, pleno, sênior ou coordenador/gerente) e porte da empresa (pequeno, médio ou grande).

A empresa também procurou entender como os profissionais enxergam sua carreira, a posição do empregador no seu desenvolvimento profissional e outros fatores que completam a remuneração. O relatório distribui os cargos nas seguintes áreas de atuação: engenharia, finanças, vendas, bancos e serviços financeiros, marketing, tecnologia da informação, varejo, recursos humanos, propriedade e construção, operações e supply chain e secretariado e business suport.
 
 
 
Fonte:  Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar