Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MICROSOFT SUPOSTAMENTE QUER USAR DNA PARA ARMAZENAMENTO NA NUVEM

23/05/2017

dna-microsoft
 
 

Em um futuro não tão distante, quando você quiser salvar seu trabalho na nuvem da Microsoft, você poderá fazê-lo com alguns trechos de DNA.

Ao longo dos últimos seis anos, cientistas viraram suas atenções para a dupla hélice na esperança de que ela possa um dia se tornar um meio de armazenamento mais eficaz para coisas além de cabelo e cor dos olhos. Em 2011, o geneticista da Harvard George Church foi pioneiro na ideia, codificando seu próprio livro, algumas imagens e um programa Javascript dentro das moléculas. Em julho passado, uma equipe da Microsoft e da Universidade de Washington conseguiu armazenar recordistas 200 MB de dados em DNA. E, neste ano, pesquisadores codificaram DNA com um filme francês de 1895, um vírus de computador e um cartão de presente Amazon de US$ 50.

Agora, a Microsoft espera comercializar a tecnologia. A companhia contou ao MIT Technology Review que planeja ter um sistema de armazenamento operacional baseado em DNA funcionando dentro de um centro de dados até o fim desta década.

A empresa recusou um pedido de entrevista do Gizmodo. Mas o arquiteto da Microsoft Research Doug Carmean contou ao Tech Review que o futuro dispositivo teria o tamanho de uma copiadora Xerox grande dos anos 1970. Ele também disse que a empresa planeja propagandeá-lo como “Seu Armazenamento com DNA”. Dentro de três anos, eles planejam ter um “sistema protocomercial” em um centro de dados armazenando dados para “pelo menos uma aplicação de loja online”.

O DNA como meio de armazenamento faz muito sentido — pense em toda a informação sobre você que o DNA armazena em uma quantidade minúscula de espaço. Ele é compacto e resistente e é improvável que se torne obsoleto. E ainda funciona muito como os hardwares que já utilizamos para armazenar coisas, com códigos escritos em As, Gs, Cs e Ts, em vez de 1s e 0s.

Mas existem obstáculos enormes a se ultrapassar antes que a tecnologia chegue ao mainstream. Para começar, o sequenciamento de DNA está ficando cada vez mais barato, mas ainda é caro demais para substituir seus pendrives. Nesse ano, a Illumina anunciou planos de diminuir, dentro de uma década, o custo do sequenciamento de um genoma humano inteiro para US$ 100. O nível da redução de custo e a velocidade com que isso acontecerá terão um grande papel no quão rapidamente o armazenamento de dados em DNA será adotado.

O anúncio da Microsoft sinaliza um interesse em fazer esses avanços acontecerem o mais rápido possível, já que a tecnologia do futuro exige um espaço de armazenamento e uma potência de computação crescentes. Só o tempo dirá se vamos subir nossos arquivos para sequências de código genético em cinco anos, mas coisas mais estranhas que isso já aconteceram.
 
 
 
Fonte: Gizmodo
 

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar