Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CIENTISTAS PROJETARAM BACTÉRIA PARA REPRODUZIR UMA IMAGEM DE SUPER MARIO

23/05/2017

arte-bacteriana
 
 

As bactérias têm tido ótima publicidade ultimamente. Graças a várias novas pesquisas sobre sua importância para os nossos corpos, elas não são mais vistas como assassinas microscópicas sem alma. Elas são seres coloridos e mal-compreendidos vivendo juntas longe dos holofotes, parasitando nossas entranhas em troca de favores. Em outras palavras, elas são artistas.

Bom, pelo menos agora elas são. Uma equipe de cientistas do MIT tem projetado a bactéria E. coli para responder a luzes vermelha, azul e verde. Isso significa que eles podem fazer imagens coloridas só de jogar luz sobre a bactéria.

topax8l4rkkg1vmfaeij

Sim, isso é uma bactéria (Imagem: Felix Moser)

Essas fotos na verdade demonstram uma biologia sintética incrível em ação. Os pesquisadores criaram e customizaram um sistema de 18 genes, separando-o em quatro partes: um gene sensível à luz para determinar que cor a bactéria deveria criar, um “circuito” para processar os sinais e um “alocador de recursos” que conecta os circuitos ao “atuador” que, de fato, produz o pigmento. Os pesquisadores criaram cada uma dessas peças por conta própria e combinaram-nas, de acordo com a pesquisa publicada nesta segunda-feira na Nature Chemical Biology.

Os pesquisadores basicamente construíram um computador dentro de cada bactéria que absorve luz e emite cor.

aujoz8bm00whwzuuhaol

Imagem: Felix Moser

Esse trabalho começou em 2005, quando a equipe de Christopher Voigt no MIT descobriu como fazer bactérias responderem a cores únicas de luz para criar fotos em preto e branco. Mas além de as fotos ficarem legais, tem um uso prático aqui. “Engenheiros são muito bons em projetar fótons de forma definida”, o autor do estudo, Felix Moser, contou ao Gizmodo. “Isso nos dá uma ferramenta poderosa para controlar a expressão genética na bactéria muito precisamente, mas em espaço e tempo.”

Pense assim: agora, os pesquisadores estão jogando luz sobre bactérias para criar cores. Mas a emissão poderia potencialmente ser de outras proteínas ou compostos biológicos, usando a E. coli como uma impressora 3D.

puqei56blnzjbimznpwu

Imagem: Felix Moser

Moser não achou que o mercado para arte bacteriana fosse enorme e disse que as imagens são minuciosas — pode levar algumas tentativas para acertar. Mas há pelo menos uma artista que poderia estar interessada no desenvolvimento: Anicka Yi, que está atualmente exibindo arte bacteriana no Museu Guggenheim, em Nova York.

O verdadeiro objetivo da pesquisa é mostrar o quão rapidamente a biologia sintética está avançando.

“A conclusão é que essa é uma demonstração do quão longe a biologia sintética chegou em termos de sistemas de engenharia biológica”, concluiu.

 
 
 
Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar