Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

KINGSTON HYPERX CLOUD STINGER

30/11/2016

O Kingston HyperX Cloud Stinger (comprido esse nome, não?) é o novo lançamento da HyperX para o mercado de headsets gamer, sendo no final de 2016 o fone mais recente da marca.

O HyperX Cloud Stinger promete ter um alto nível de qualidade em sua construção, uma excelente fidelidade sonora, um microfone cristalino e claro, além de um preço bastante acessível. Embora o material publicitário de maioria do mercado prometa o mesmo, será que o Stinger entrega? Será que este lança-foguetes não é uma bomba?


Sim, eu sei que o Stinger é o lançador

Construção e Conforto

O HyperX Cloud Stinger é um headset extremamente simples em seu design. Até excessivamente, o antigo Cloud já não era muito marcante, mas o Stinger é ainda menos, tendo uma aparência um tanto quanto "genérica".

Por outro lado, o acabamento em plástico fosco significa que sujeiras neste headset não serão aparentes e nem precisamos nos preocupar com riscos, diferente do que ocorre em alguns headsets com acabamento glossy (ex: black-piano). Muitos podem não achar seu design bonito, mas certamente é utilitário.

Pesando apenas 275 gramas (sem os cabos e conectores), o HyperX Cloud Stinger é um fone bastante leve, sem nenhuma peça de metal fora uma pequena parte de seu arco interno. Em termos de material, ele usa principalmente um plástico foco e não passa o mesmo nível de confiança que seus irmãos HyperX Cloud/Cloud Core/Cloud II ou Revolver, mas estamos falando de um modelo de menor custo do que estes.

Suas almofadas são de Memory Foam, revestidas em courino de alta qualidade, assim como também o estofamento localizado na parte superior do headset, fazendo com que utilizar o fone por diversas horas, não seja uma tarefa árdua. Também, se for vontade do usuário, estas podem ser destacadas e trocadas por outros conjuntos ovais vendidos na Internet (ex: almofadas do Brainwavz HM5).

Um dos principais diferenciais que separam o HyperX Cloud Stinger do restante dos fones da marca, é que suas conchas podem ser giradas em 90 graus, o que permite maior praticidade para armazenar ou manter este headset no pescoço.

O grande problema deste tipo de design, e que pouca gente menciona, é que isso acaba se tornando um ponto de falha, especialmente se não houver cuidados por parte do usuário ou se o fone não for bem projetado.


Fonte: inthere no fórum Headfi.org

Outra novidade do HyperX Cloud Stinger, é um controle de volume na sua ear-cup direita. O HyperX Cloud Drone também tem isto, mas o sistema do Stinger é mais prático e fácil de utilizar, sendo possível também saber em quanto está o volume do headset, além de aparentar ser mais robusto do que o sistema do Drone.

Mas, repito o que já mencionei na análise do CM MasterPulse Over-Ear: este é um dos pontos onde realmente alguns fones USB acabam tendo vantagem por utilizarem botões ao invés de um potenciômetro.


Headset com defeito. Fonte: Overclock.net

Controles de volume analógicos em headsets e headphones são um ponto fraco, pois o uso intenso do controle pode acabar gerando problemas como mau contato, diferenças de volume entre os canais esquerdo e direito, ou um canal pode parar de funcionar completamente. Uma dica para quem tem um headphone/headset com este recurso e quer que seu fone dure por muitos anos: evite, quando possível, utilizar estes controles e opte por outras alternativas.

O HyperX Cloud Stinger possui diferentes níveis para ser ajustado à cabeça do usuário, sendo que este permite mais níveis de ajuste do que seus antecessores, embora infelizmente não tenha indicação numérica para seus ajustes como alguns concorrentes tem. 



Também, outra diferença extremamente notável, é que o Cloud Stinger não possui nenhum clamping (o fone pressionando a cabeça do usuário com força).


Representação visual de Clamping. Fonte: Gadgetmac

Por um lado, estas diferenças trazem várias melhorias. O Cloud Stinger é certamente mais confortável para uso contínuo do que seus antecessores (com exceção do Revolver), exatamente por não possuir nenhum clamping e ter uma estrutura bastante leve. Pessoas com cabeça XGG (autor) e/ou que usam óculos (autor), são as mais beneficiadas, é um fone extremamente confortável.

Atrás apenas do Cloud Revolver, o Stinger é o segundo fone mais confortável da HyperX

Ao mesmo tempo, existem razões para fones terem clamping. Uma delas, é o isolamento. Exatamente por ter materiais mais leves e uma ausência de clamping, o HyperX Cloud Stinger tem um isolamento inferior ao de outros modelos da linha Cloud, mas ele ainda é aceitável para um fone fechado.

O isolamento sonoro do HyperX Cloud Stinger é inferior a outros fones da marca

Outra característica que ocorre com a falta de clamping, é que os falantes do fone de ouvido acabam ficando mais distantes da orelha do usuário, o que acaba diminuindo a intensidade do som (leia-se: volume) que é transmitido ao canal auditivo, além de diminuir um pouco a presença de graves.

Por esta razão que vários fones ficam "mais altos" e com "mais graves" quando pressionados com as mãos contra a orelha. E por isso que alguns fones pressionam a cabeça do usuário com bastante força.

Outro detalhe do HyperX Cloud Stinger é o seu cabo, o qual possui 1.3 metros e uma saída no conector P3 (3 anéis), fazendo o headset ser compatível com Smartphones, controles de PS4, controles recentes de Xbox One, Notebooks recentes e outros dispositivos móveis.

Este, é feito de borracha de alta qualidade, bastante maleável e quase sem peso algum. Certamente não é tão resistente quanto o cabo revestido de outros headsets, mas estamos falando de um modelo de entrada.

Para utilizar em computadores, há uma extensão de 1.7 metros que é conectada a este cabo, sendo feita com o mesmo material.

E seus conectores possuem as cores respectivas às suas funções, assim como qualquer headset deveria ter:

HyperX Cloud Stinger tem um excelente conforto e uma construção razoável. Embora eu acredito que este consiga durar nas mãos de quem pagou com o próprio bolso pelo fone, não consigo ver ele como uma boa escolha para ser utilizado por crianças, em LAN Houses ou por pessoas que não tenham cuidado com ele, pois não aparenta ser construído para aguentar maus-tratos. Para este público, headsets como o HyperX Cloud Core ou o CM MasterPulse Over-Ear são mais indicados.

Qualidade Sonora

Fui extremamente cético quando soube sobre o HyperX Cloud Stinger, pois primeiro de tudo, embora a HyperX seja bastante famosa por fones como o Cloud/Cloud Core/Cloud II, estes fones não foram projetados pela marca. Eles nada mais são do que remarcações do headset Qpad QH-90, que na verdade é baseado no fone profissional Takstar Pro80.

Ou seja, embora a HyperX seja respeitada pelo público geral por seus headsets, especialistas sabem que ela é uma novata neste segmento e que até o lançamento do Cloud Revolver no início de 2016, não havia projetado fone algum.

Mesmo que o HyperX Cloud Revolver tenha sido uma ótima surpresa, era de se esperar que um suposto modelo topo de linha realmente teria um nível de qualidade diferenciado. Mas, e quanto ao novo modelo de entrada da marca? O que esperar de um fone feito por uma empresa que é novata neste segmento e que estaria competindo contra o já consagrado HyperX Cloud Core, que é basicamente um headphone profissional com microfone?

Sinceramente, o autor esperava um fiasco. Esperava a remarcação de algum headset chinês medíocre produzido por OEMs como a Aula, Mototech, Sades ou Somic, assim como centenas de outros que vemos no mercado brasileiro, e até falei para outras pessoas evitarem este headset pelo fato de não ter a mesma origem que seus antecessores.

O resultado do meu ceticismo quando finalmente testei este headset? Quebrei a cara.

Fui cético à qualidade sonora do Cloud Stinger. Quebrei a cara

Algo que eu posso afirmar sem sombra de dúvidas após já ter testado o HyperX Cloud Stinger e HyperX Cloud Revolver, é que a HyperX sabe muito bem o que está fazendo e que há pessoas que realmente entendem muito sobre áudio na sua equipe de desenvolvimento.

O HyperX Cloud Stinger é um headset com uma resposta neutra, certamente utilizando falantes que seriam destinados para headphones monitores, assim como seus antecessores também o fazem. E qual o resultado disso?

Uma qualidade sonora impressionante para um headset da faixa de preço. Graves com uma excelente extensão, sem exageros, médios bem detalhados e agudos nítidos, embora com um pouco de agressividade em alguns momentos. Para minha surpresa, este fone mais barato, consegue se equiparar ao HyperX Cloud Core em qualidade sonora e não vai apanhar de qualquer headphone de R$ 150.

Graves com uma excelente extensão, sem exageros, médios bem detalhados e agudos nítidos

Seus graves possuem uma excelente extensão para um fone do preço, sendo capazes de mostrar detalhes de instrumentos, não sendo aquele falso grave criado por sistemas de vibração como alguns, que prestam apenas para tremer o fone.

Mas, quem comprar o HyperX Cloud Stinger esperando ter grandes "impactos" escutando gêneros derivados da música eletrônica, pode acabar se decepcionando. O foco do Stinger não é entregar impacto, é entregar som da forma mais nítida e natural o possível, sendo que graves demais afetariam negativamente o desempenho do headset em jogos. Ele tem uma proposta totalmente diferente do CM MasterPulse Over-Ear que analisamos há pouco tempo.


Representações dos derivados da música eletrônica. Fonte: Reddit

Já nos agudos, o Cloud Stinger se diferencia da maioria dos headsets de concorrentes. Ele não tem nenhum recuo e demonstra diversos detalhes das frequências agudas, que em outros headsets da faixa de preço, seriam inaudíveis ou distorcidos.

Mas, ele possui um tanto de "agressividade" nestes agudos, o que pode ser incômodo em algumas músicas. Para resolver isto, basta apenas um pouco de equalização para remover um pouco das frequências agudas, mas nem todos os dispositivos onde podemos conectar o Cloud Stinger, possuem este tipo de recurso.

Em comparação, o HyperX Cloud Revolver não precisa nada disto e possui um melhor controle em seus graves. Não é justo comparar o Stinger com um fone do dobro do preço, mas fazemos isto para que o público saiba algumas das diferenças entre todos os modelos da marca.

Então, em quais gêneros musicais estas características acabam apresentando vantagens? Basicamente, os mesmos que o HyperX Cloud Revolver.

JazzBlues, derivados do Rock e Instrumentais têm um ótimo desempenho. Derivados da música Eletrônica e Hip-Hop têm um desempenho adequado, mas não são o foco deste headset.

O HyperX Cloud Stinger foi projetado após o HyperX Cloud Revolver, sendo o headset mais recente da marca. O que surpreende, é que ele trouxe consigo algumas das características do Revolver, tal como a ênfase em entregar ao usuário um palco sonoro de melhor qualidade.

O Stinger trouxe consigo uma das características do Revolver: a ênfase em entregar ao usuário um palco sonoro de melhor qualidade.

O resultado? Em jogos como Battlefield 4, CS:GO e também em músicas, sons se tornam mais fáceis para diferenciar, mas o principal, é que há maior profundidade para cada som, sendo possível diferenciar distâncias com grande facilidade.

Alie isto aos níveis de qualidade de seus médios e agudos, e o HyperX Cloud Stinger é um headset que tenta reproduzir o maior número de detalhes o possível, exatamente da forma como estes foram gravados e transmitidos dentro da engine sonora do jogo. Foi extremamente fácil notar a direção e a distância onde este pobre sniper estava localizado.

Quanto à questão da versatilidade deste headset, embora ele funcione em quase qualquer computador, smartphones (com exceção de alguns), controles de PS4 e controles mais recentes de Xbox One que tenham o conector P3 embutido, isto não quer dizer que ele terá o mesmo desempenho em todos, até porque diferentes dispositivos podem apresentar diferentes características em seu áudio.

Quando conectado ao Moto X2, o HyperX Cloud Stinger não apresenta o mesmo áudio que possui no computador, seus graves diminuem um tanto e o volume máximo também. 

O mesmo também ocorre quando conectamos o headset ao controle de PS4. Embora ele fique adequado para o áudio de jogos, certamente há algo "faltando" caso tentemos escutar músicas no console.

A razão para isto ocorrer, para minha surpresa não está em possuir uma maior impedância e/ou menor sensibilidade do que o Cloud Core por exemplo, mas simplesmente no fato deste não apertar tanto a cabeça do usuário, o que acaba distanciando o seu ouvido do falante deste headset.

Enfim, o HyperX Cloud Stinger possui um nível de qualidade sonora impressionante para um headset da faixa de preço, superando as expectativas do autor desta análise, que não eram altas. Esperava algum headset "gamer" que fosse muito inferior a headphones profissionais, assim como tantos outros são, e acabei testando algo que pode ser utilizado até para mixagem/monitoramento, tamanha a qualidade de áudio.

Microfone

Antes de começarmos, é importante que o público saiba que o HyperX Cloud Stinger é um headset analógico. Ou seja, ele possui conectores P3/P2 (3.5mm). Isto quer dizer que o headset vai ser influenciado pela qualidade do áudio do seu computador, diferente de headsets USB que sempre tem o mesmo resultado em qualquer PC, salvo se as configurações forem diferentes.

Acontece, que algumas placas-mães low-end não possuem nenhum isolamento elétrico em seu sistema de áudio, além de muitos usuários utilizarem as entradas frontais do gabinete, que são ainda mais suscetíveis a interferência do que os conectores traseiros. Adicione a falta de aterramento na maioria dos lares Brasileiros e temos a receita para um belo ruído de eletricidade estática em qualquer headset analógico que for conectado a este computador.

Nosso teste foi realizado utilizando uma placa-mãe Gigabyte GA-Z77-D3H, um modelo de entrada já um pouco ultrapassado, que não possui nada de especial. Quando conectamos o headset diretamente na placa-mãe, sem nenhum efeito de redução de ruído ou algo do tipo, tivemos excelentes resultados.

Todavia, quando conectamos ele, ou qualquer outro headset analógico, nas entradas do gabinete Cooler Master Elite 431 Plus, o resultado foi um microfone baixo e um ruído de fundo horrível. E isto não é culpa do headset e sim do áudio frontal de baixa qualidade deste computador.

O HyperX Cloud Stinger é um tanto diferente de seus antecessores e traz melhorias, especialmente no microfone.

Para início de conversa, o novo microfone agora é um tanto mais curto e direcional (capta quase que exclusivamente a direção para onde está apontado), o que impede que pessoas como o Carlos coloquem ele próximo demais à boca, o que acaba fazendo com que o microfone capte muito do fluxo de ar da fala (trivia: pop-filters são usados em estúdios justamente para eliminar esse fluxo).

Brincadeiras à parte, o microfone do Cloud Stinger é o resultado de diversas melhorias que foram geradas a partir do feedback do microfone de outros headsets da marca, incluindo até críticas dadas ao Cloud Revolver. O resultado, acaba sendo o que pode ser considerado o melhor microfone entre todos os Clouds.

Um som extremamente claro e limpo, com uma excelente nitidez para um headset de apenas R$ 300 e captando quase que exclusivamente a boca do usuário. É impossível negar que o HyperX Cloud Stinger possui um microfone nitidamente superior a headsets como o HyperX Cloud Core, HyperX Cloud II e uma grande gama de concorrentes:

Outro recurso extremamente prático do HyperX Cloud Stinger, é a possibilidade de desligar o microfone ao posicionar este para cima, sendo que para ligar novamente, basta baixá-lo:

Mas, um problema na minha opinião, é o microfone não ser destacável. Enquanto fones como o Cloud Cloud II Revolver podem ser utilizados em ambientes públicos sem nenhum constrangimento, eu certamente não gostaria de sair na rua com o Cloud Stinger, mesmo com o seu microfone apontado para cima (fica parecendo uma antena).

AVALIAÇÃO:

Construção

7.5

Conforto

9.5

Qualidade Sonora

9.5

Microfone

9

Preço

9
Conclusão

Fui cético quanto à qualidade sonora do Kingston HyperX Cloud Stinger quando este foi lançado, achando que teria um nível similar à de outros headsets da faixa de preço. Achei que seria mais um headset que apanharia do Superlux HD681. E o resultado após ter analisado ele, é que quebrei a cara.

É evidente que a HyperX projetou este headset e investiu muito tempo e dinheiro em sua construção, com várias ideias que buscaram corrigir as críticas que seus antecessores receberam e incrementar novos recursos para maior praticidade. Além, é claro, do principal: manter a excelente qualidade de áudio pela qual a linha Cloud é conhecida.

O Kingston HyperX Cloud Stinger não apenas é um headset de respeito, mas acaba facilmente se tornando um dos melhores do mercado abaixo de R$ 300, senão o melhor. Para alguns casos ele acaba sendo melhor que o HyperX Cloud Core e HyperX Cloud II exatamente por ter um melhor conforto, microfone e palco sonoro, embora não tenha a mesma qualidade em sua construção e nem o isolamento destes dois.

Porém, sinto que a HyperX poderia ter dado uma maior atenção à questão da estética deste fone. Muitas pessoas já deram opiniões contrárias à aparência do Cloud Stinger e até o autor da análise acha o seu traço "genérico" demais. Parte do público acaba se desinteressando por ele exatamente por sua aparência.

Ao mesmo tempo, o HyperX Cloud Stinger pode não ter LEDs, uma placa USB 7.1 que mais atrapalha do que ajuda ou um visual agressivo, mas tem algo que falta na maioria dos concorrentes que possuem tudo isso: qualidade sonora.

Enfim, parabéns HyperX, o Cloud Stinger é um excelente headset, mas acho que há alguns pontos que podem ser melhorados:

  • Cabo removível
  • Maior facilidade de amplificação
  • Microfone destacável
  • Um design um pouco mais "marcante"

E vendo o quanto a HyperX aprendeu e vem crescendo, acredito que estas sugestões sejam acatadas no futuro.


Kingston HyperX Cloud Stinger

PRÓS
  • Almofadas destacáveis
  • Excelente Qualidade Sonora, áudio nítido em todas as frequências, sem exageros
  • Excelente Custo x Benefício
  • Extremamente confortável
  • Extremamente versátil, tendo compatibilidade com PC, Dispositivos Móveis, PS4, Xbox One e Wii U (conectando-se nos controles destes)
  • Ótimo microfone, melhor do que outros Clouds e muitos concorrentes
  • Ótimo palco sonoro para um fone fechado

 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar