Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TV DIGITAL: DESLIGAMENTO EM BRASÍLIA É ADIADO PARA 17 DE NOVEMBRO

26/10/2016

Nem mesmo a cidade com maior renda per capita do Brasil chegou na data prevista com 9 em cada 10 domicílios preparados para receber os sinais digitais. Por isso, depois de um dia de intensas reuniões, emissoras, operadoras móveis, governo e Anatel decidiram adiar o desligamento dos sinais analógicos no Distrito Federal e em nove municípios do entorno da capital. Previsto para esta quarta-feira, 26/10, o ‘apagão’ analógico ficou para 17 de novembro. 

Não que o governo chame de adiamento. Oficialmente, o desligamento começa na data, mas continua por três semanas. “A desativação dos canais analógicos de televisão aberta no Distrito Federal será feita de forma escalonada, em que os radiodifusores poderão iniciar a partir do final do dia 26, e se estenderá por um período até 17 de novembro”, explicou o presidente da Anatel, Juarez Quadros. 

A mais recente pesquisa feita pelo Ibope mediu, mesmo no critério mais favorável, que 88% dos lares de Brasília e de 9 cidades goianas estão aptos a receber os sinais digitais de TV. A regra prevê que o desligamento deve se dar com 93% dos domicílios preparados. Na pesquisa preferida das emissora de TV, que tem uma metodologia um pouco diferente, o percentual encontrado foi ainda menor 84%. Não por menos, a discórdia se instalou na reunião desta terça-feira, 25/10, do grupo que reúne TVs, teles, governo e Anatel no chamado Gired.

O resultado é que as emissoras comerciais só vão desligar os sinais em Brasília e região em 17 de novembro. “Algumas emissoras vão começar a desligar o sinal e o telespectador vai sentir que tem menos canais à disposição”, disse o conselheiro Rodrigo Zerbone, da Anatel, que coordena o Gired. É uma torcida. Ele mesmo admitiu em seguida que “no quadro geral, a maior parte dos desligamentos no período inicial vão ficar com algumas retransmissoras, com algumas geradoras. E a maior parte dos desligamentos finais ficarão com as geradoras.”

Na prática, é possível que alguma das 12 retransmissoras no DF desligue os sinais antes da nova data de 17 de novembro. Entre as 13 geradoras, porém, apenas as TVs públicas – Senado, Câmara e Justiça – devem desligar antes da nova data. Mas como reconhecido por presentes à reunião do Gired, não chega a ser um impacto significativo na audiência como um todo. 

O governo, que queria desligar, chegou a ter apoio da Record – a Abratel divulgou uma nota em que apoiava o desligamento agora, mas recuou quando viu que seria a única disposta a efetivamente fazê-lo. Ainda assim, arrancou uma quase-vitória na reunião desta quinta: cravou que daqui para a frente, a metodologia a ser adotada para medir a preparação dos lares será a preferida das operadoras móveis (telas-fina com deflator de 8%). 
 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar