Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

APÓS POLÊMICAS DO WIKILEAKS, EQUADOR RESTRINGE ACESSO DE JULIAN ASSANGE À INTERNET

20/10/2016

Na terça-feira (18), o Equador confirmou que restringiu o acesso à internet do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, citando vazamentos recentes que afetaram a campanha presidencial dos Estados Unidos, e o princípio de não interferir em assuntos internos de outros países.

De acordo com o WikiLeaks, Assange perdeu acesso à internet no fim de semana pouco depois de publicar transcrições de discursos pagos que Hillary Clinton, candidata à presidência dos EUA, deu ao banco de investimentos Goldman Sachs.

Na manhã de terça-feira, a organização sugeriu que o país fez isso para atender a demandas do Secretário de Estado americano, John Kerry, uma alegação que foi negada tanto por autoridades americanas quanto equatorianas.

“Nas semanas recentes, o WikiLeaks publicou uma série de documentos impactando a campanha eleitoral dos EUA,” disse o Ministro de Relações Internacionais do Equador em um comunicado. “Assim, o Equador exerceu seu direito soberano de restringir temporariamente o acesso a algumas redes de comunicação privada dentro da embaixada no Reino Unido.”

Ainda assim, o Equador se mantém comprometido a oferecer asilo político a Assange, que vive na embaixada desde 2012 para evitar uma possível prisão e extradição relacionada a acusações de estupro e assédio na Suécia.

“O Equador, de acordo com a sua tradição de defesa de direitos humanos e proteção de vítimas de perseguição política, reafirma o asilo garantido a Julian Assange e reitera a sua intenção de proteger sua vida e integridade física”, diz o país. “A política externa do Equador responde apenas a decisões soberanas, e não cede à pressão de outros Estados.”
 
 
 
 
 Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar