Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

JOHN MCAFEE É IMPEDIDO DE SAIR DOS EUA POR SUSPEITA DE HOMICÍDIO

20/09/2016

John McAfee tinha compromissos no Brasil. Tinha, não tem mais. O extravagante fundador da empresa de segurança que leva seu sobrenome, adquirida pela Intel em 2010, não poderá deixar os Estados Unidos para vir ao país. O motivo? Ele é suspeito e está sendo investigado por homicídio.

Os detalhes ainda são poucos, mas a informação obtida pelo Olhar Digital é a de que ele não poderá realizar sua palestra no Brasil por causa desta pendência judicial. É possível que o caso tenha a ver com o período em que ele viveu em Belize, quando fugiu do país procurado pelo governo local justamente por supostamente ter assassinado seu vizinho.

O caso aconteceu em 2013, mas voltou aos holofotes recentemente, com a publicação de um documentário. O filme "Gringo: The Dangerous Life of John McAfee" relata que ele contratou um assassino por US$ 5 mil para torturar e matar seu vizinho Greg Faull, além de sequestrar e mutilar com facas e tasers David Middleton, um homem local que havia roubado a sua casa e que viria a morrer no hospital após algum tempo com seis ferimentos com faca. Para completar, o documentário afirma que McAfee estuprou sua parceira de negócios Allison Adonizio após drogá-la.
 
John McAfee viria ao Brasil para realizar a palestra “The Unconventional Truth” (A Verdade Não Convencional) que trata das inseguranças e brechas da privacidade em todo o ambiente online (clientes de e-mail, redes sociais, serviços, etc).
 

A apresentação seria parte do evento Mind The Sec, uma conferência brasileira sobre segurança da informação que mostra tendências e discute desafios do segmento e acontece nesta semana em São Paulo. O preço da palestra é salgado: de R$ 2,5 mil a R$ 3,5 mil.

O público que reservou ingresso para a apresentação, no entanto, não ficará sem ver McAfee falar. A organização disse já ter preparado um sistema de videoconferência que permitirá que ele realize sua palestra remotamente, similar ao que Edward Snowden, exilado na Rússia, usa para fazer suas apresentações.
 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar