Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ESTUDO FAZ MAPEAMENTO DAS OFENSAS DOS BRASILEIROS NAS REDES SOCIAIS

05/08/2016

A plataforma digital Comunica que Muda realizou um estudo para descobrir as origens das ofensas e do ódio dos brasileiros na internet. Utilizando a ferramenta de monitoramento Torabit, a pesquisa analisou mais de 390 mil menções no Facebook, Twitter, e Instagram e chegou a dez tipos principais de intolerância que dominam nas redes sociais:

O estudo apontou a política como maior movimentador de ofensas, com quase 220 mil menções, que é quatro vezes maior do que o segundo colocado, a misoginia (50 mil menções). A terceira maior intolerância está relacionada a deficiência, seguida de aparência e raça.

O Rio de Janeiro foi apontado com o maior número de postagens intolerantes e preconceituosas do país, seguido de São Paulo e Minas Gerais. O Distrito Federal, lar da política brasileira, lidera o ranking quanto a proporção de ofensas postadas e o número de habitantes.

A pesquisa também mostrou as palavras mais usadas para ofender: "cabelo ruim, gordo, vagabundo, retardado mental, boiola, malcomida, golpista, velho e nega". De acordo com  Bob Vieira da Costa, sócio-fundador da agência nova/sb, responsável pelo estudo, as ofensas na internet são um reflexo da realidade cultural que vivemos no país.

“A intolerância nas redes é resultado direto de desigualdades e preconceitos sociais em geral, não é uma invenção da internet. O que ocorre é que o ambiente em rede facilita que cada um solte seus demônios, ao dar a sensação de um pretenso anonimato. O mundo virtual é, portanto, mais uma forma para que os intolerantes se manifestem e ampliem o seu alcance”

 
 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar