Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MITOS E VERDADES SOBRE A RELAÇÃO ENTRE ÍMÃS E APARELHOS ELETRÔNICOS

25/05/2016

Muitos usuários mantêm a crença de que ímãs ou outros metais magnetizados podem causar algum tipo de dano a equipamentos eletrônicos, como smartphones ou tablets. Algumas empresas chegam a vender capinhas para celulares com ímãs, o que espanta muitos clientes que já ouviram falar desse suposto perigo.

Mas há mesmo algum real motivo para temer? A verdade é que esse nedo nasceu com a popularização de equipamentos eletrônicos mais antigos, como televisores de CRT (tubo de raios catódicos). Naqueles monitores que eram mais largos na parte traseira, a tela é atingida repetidamente por um feixe de elétrons sobre um material fosforecente que forma as imagens.

Nesses equipamentos, campos magnéticos de fato podem causar distorções. Mas em telas LCD, plasma, LED ou AMOLED - que compõem boa parte dos dispositivos modernos, como os smartphones - isso não acontece mais. Sendo assim, ímãs pequenos, como os usados em capinhas de smartphone, podem não representar um grande perigo. Mas será mesmo?

Para a tela do seu celular, realmente não há com o que se preocupar. No entanto, campos megnéticos podem interferir na bússula interna do smartphone, usada principalmente pelo sistema de localização e apps como o Google Maps, Uber e Waze. Alguns jogos e recursos que dependem de movimentos do aparelho também podem não funcionar direito se você deixá-lo próximo a um íman.

A Apple, por exemplo, proíbe que fabricantes de capinhas para iPhone usem metais magnetizados em seus cases. Para o iPhone 6s, por exemplo, a empresa afirma até que ímãs podem causar problemas na estabilização óptica de sua câmera traseira, assim como no foco automático. Sabendo disso, é aconselhável que você evite cases com ímãs no seu celular.
 

Mas e quanto a discos rígidos? Quem assistiu à série "Breaking Bad" certamente se lembra do protagonista Walter White usando um íman gigante para apagar arquivos de um computador, o que, de acordo com a ciência, é perfeitamente plausível. Afinal de contas, memórias não-voláteis como as de HDs são lidas e gravadas usando pequenos ímãs internos, e um grande campo eletromagnético poderia causar interferência e deformações.

Ainda assim, para gerar algum problema muito sério ao HD de um computador, é preciso mais do que ímãs pequenos como os de geladeira e outros que encontramos no dia a dia. É necessário algo muito maior e mais potente, de modo que colar alguns apatrechos magnetizados ao gabinete do seu PC ou ao seu videogame, por exemplo, não deve causar perdas de dados.

Sendo assim, não há motivo para aterrorizar-se quando algum conhecido aproximar um íman a um equipamento eletrônico. Todavia, por segurança, talvez seja melhor evitar o contato entre metais magnetizados e o seu smartphone. O estrago a ser causado pode não ser tão grande, mas não custa nada evitar pequenas dores de cabeça.

 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar