Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

VIDA DE ATLETA (OU NÃO): PESSOAS REVELAM COMO ENGANAR E CONVIVER COM UMA FITBIT

15/02/2016


Se Freud ainda estivesse vivo, tenho certeza que ele morreria (de rir) tentando entender como funciona a cabeça da sociedade atual. O Mashable reuniu depoimentos de pessoas que possuem uma Fitbit, vestível voltado para exercícios que monitora sinais vitais, mede distâncias percorridas e lança desafios para o usuário.

Segundos os depoimentos dos usuários, compartilhados pelo Whisper, é possível perceber como as pessoas elaboram estratégias para enganar a pulseira, e a elas mesmas, afinal, ninguém se importa se você está fazendo exercícios além de você mesmo.


"Caminhei 14 mil passos hoje. Ok, eu deixei a Fitbit no bolso da calça dentro da máquina de lavar"

Isso também mostra que o rastreador de movimentos não é tão eficaz assim, afinal, ficar mexendo o braço ou fazendo atividades alternativas por horas pode contar como uma caminhada de vários quilômetros para o vestível.  


"Minha Fitbit disse que eu caminhei três milhas hoje. Tudo o que eu fiz foi ficar sentado no banheiro por alguns minutos"( ͡° ͜ʖ ͡°)


"Coloquei minha FitBit presa no meu sutiã. Assim eu conto passos mesmo quando não estou vestindo calças" ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°) 


Também é possível ver um padrão de dependência do dispositivo na hora de fazer exercícios, simplesmente para ter uma aprovação, mesmo que seja digital.


"Perdi 20 libras porque comprei uma Fitbit e trato ela como um videogame com recordes a serem batidos"

Outro ponto interessante é a difícil relação de amor e ódio que existe entre os usuários e o pequeno gadget, que vai muito além do simples amor incondicional sentido pelos fãs da Sony com o PS4 e dos Master Race pela taxa de frames. 


"Não acredito que me exercito tanto só pra impressionar a minha Fitbit"

A Fitbit é um dos vestíveis mais populares do mercado, já que é bem simples e faz o que promete. Além disso, o preço não é tão alto em comparação aos smartwatches, por exemplo. No ano passado, o dispositivo ganhou uma série de melhorias, incluindo uma ferramenta que mapeia movimentos contínuos e identifica a atividade física.  Porém, depois desses depoimentos, dá pra perceber que muitos aperfeiçoamentos ainda devem ser feitos nos rastreadores do dispositivo.

 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar