Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

CORREIOS DEVE LANÇAR SUA PRÓPRIA OPERADORA DE TELEFONIA CELULAR ATÉ O FINAL DO ANO

11/02/2016

Os Correios devem seguir os passos da Igreja Assembleia de Deus e lançar sua própria operadora virtual de telefonia móvel até o final deste ano.

A nova iniciativa da empresa pública federal deve utilizar um nome diferente para essa operação, mas ainda não foi revelado, assim como a data exata do início das atividades, qual operadora atual servirá como sua parceira ou mesmo quais serão os planos oferecidos.

Apesar de tanta indefinição, sabe-se que o serviço se beneficiará da rede de 12 mil agências que os Correios possuem espalhada pelo país e deve focar no consumidor final. Para Giovanni Queiroz, presidente dos Correios, “este novo negócio, além de garantir o ingresso e atuação da empresa no mundo da comunicação digital, vai garantir a continuidade de oferta de emprego aos brasileiros, valorizando cada vez mais a atuação dos profissionais dos Correios que estão na linha de frente de nossos negócios”.

A empresa pública federal está tentando levantar sua própria operadora de telefonia móvel desde 2014, quando o projeto foi suspenso após a desistência da empresa europeia Grupo Poste Italiane em atuar como parceira. Na prática, os Correios funcionarão como uma marca nos chips e ponto de venda e recarga, uma vez que a toda a infraestrutura operacional e o licenciamento de frequências de transmissão ficará sob a responsabilidade de uma operadora já atuante.

Esse modelo de negócios é chamado de MVNO (Mobile Virtual Network Operator) e já funciona em outros países, inclusive vinculado à empresas de correios. Segundo Giovanni Queiroz, a empresa brasileira está na posição certa para oferecer esse tipo de serviço: “os Correios dispõem de uma das maiores redes de atendimento presencial do Brasil, um inigualável sistema de logística e de distribuição, e um número muito grande de clientes que frequentam diariamente sua rede de agências, além de contar com alta confiança da população”.

A expectativa é de se obter uma receita de 282 milhões de reais em cinco anos, a partir da data de início das operações. No momento, os Correios estão escolhendo a operadora que irá atuar como parceira da iniciativa, negociando uma proposta que favoreça a empresa pública na venda de chips pré-pagos e na recarga.

 
 
 
Fonte: Codigo Fonte

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar