Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

´DIVIDENDOS DOS DADOS´ VÃO GERAR US 1,6 TRILHÃO À ECONOMIA GLOBAL ATÉ 2020

06/11/2015

Acrescente economia movida a dados está causando impacto em diversossetores, como manufatura, transporte, energia, agricultura, educação esaúde. Do ponto de vista econômico, uma melhor utilização dosdados/informações poderia gerar um dividendo de dados de US$ 1,6trilhão apenas nos próximos quatro anos, revela estudo da BSA SoftwareAlliance. De acordo com o relatório, os ganhos de eficiência gerados pormeio da tecnologia da informação podem agregar quase US$ 15 trilhões aoPIB global até 2030. Diariamente são criados 2,5 quintilhões de bytes.

Olevantamento diz ainda que mais de 90% dos dados que há no mundo hojeforam criados apenas nos últimos dois anos e, agora, a cada dois anos, omundo dobra a taxa em que os dados são produzidos. Somente em 2014, omundo digital desenvolveu dados suficientes para preencher uma pilha deDVDs com extensão igual a uma viagem de ida e volta da Terra até a Lua.

“Omaior desafio é saber como aproveitar esses dados e colocá-los emação”, afirma Victoria Espinel, presidente e CEO da BSA. “Os dados devemser coletados, armazenados, analisados e convertidos para que se cheguea resultados significativos e tomadores de decisões devem entender aimportâncias das políticas que permitem que isso aconteça”, acrescentou aexecutiva. O relatório mostra como a análise dos dados estátransformando a vida do ser humano:

·Previsões de crises climáticas com mais antecedência:Ao utilizarem análise de dados e sensores marítimos que monitoramondas, correntes e outros dados, pesquisadores estão prevendo com maisprecisão tsunamis e outros desastres naturais, possibilitando osalvamento de milhares de pessoas que vivem em áreas litorâneasameaçadas por tsunamis.

·Mais “prematuros” salvos:Ao rastrearem mais de 1.000 pontos de dados por segundo, pesquisadoressurpreenderam médicos ao descobrir que crianças nascidas prematuramentecom sinais vitais estranhamente estáveis correlacionavam-se a casos defebre grave no dia seguinte, o que permitiu que os médicos tomassemmedidas preventivas e salvassem vidas.

·Redução de tempos de trajeto.Estocolmo, na Suécia, instalou 1.600 sistemas GPS em táxis para coletardados sobre fluxos de tráfego, depois utilizou software para analisaros dados de tráfego e instruir os planos da cidade para a redução docongestionamento. O resultado?  O tráfego foi reduzido em 20%, os temposde trajeto foram cortados pela metade e as emissões por veículosdiminuíram 10%.

·Maior produtividade agrícola:Agricultores dos Estados Unidos à Índia estão usando dados de sementes,satélites, sensores e tratores para tomar decisões melhores sobre o quecultivar, quando plantar, como monitorar o frescor dos alimentos dafazenda ao prato e como se adaptar às mudanças climáticas.

·Planejamento de edifícios eficientes no uso da energia.Nos Emirados Árabes Unidos, novas ferramentas de dados estão sendousadas para projetar o primeiro edifício de energia positiva do mundo,que produz mais energia do que consome. Se for bem-sucedido, essemodelo poderá ser implementado no mundo todo e ter grande efeito sobrenossa emissão global de carbono.

·Melhoria no setor de aviação:Os dados estão sendo utilizados para melhorar o desempenho dos voos,reduzir turbulências, aumentar a segurança e identificar defeitos emmotores 2.000 vezes mais rápido do que antes. Os dados de aviação tambémestão ajudando no planejamento de rotas de voo e permitindo que astripulações saibam que uma peça precisa de substituição antes que elafalhe. 

·Construção de cidades inteligentes:Barcelona está aproveitando dados para construir uma cidade maisinteligente, permitindo às autoridades locais analisar os padrões detráfego, decidir onde colocar estações de aluguel de bicicletas eidentificar quais regiões da cidade precisam de mais caixas eletrônicos.

“Éclaro que há problemas significativos, como a privacidade do usuário,que precisam ser abordados com atenção. No entanto, com as informaçõessem fronteiras, as possibilidades são ilimitadas em todos os aspectos,de salas de aula e hospitais até estradas e robótica.Coletar, armazenar,analisar e transformar dados inestimáveis de modo eficaz permitirá queas pessoas continuem a melhorar suas vidas e estimulará nossa economiade inovação como um todo”, reforça Victoria Espinel, presidente e CEO daBSA.
 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar