Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ONDAS SONORAS CRIAM CAMPO DE FORÇA INVISÍVEL CAPAZ DE MANIPULAR OBJETOS

02/11/2015

 O raio trator é um velho conhecido dos fãs de ficção científica, mas cientistas das universidades britânicas de Bristol e Sussex acabam de comprovar que a tecnologia futurística pode ser real. O estudo, publicado nessa terça na “Nature Communications”, descreve um sistema que usa ondas sonoras de alta amplitude para gerar um holograma acústico capaz de sustentar e mover pequenos objetos.

De acordo com os pesquisadores, a técnicas pode ser desenvolvida para diversas aplicações, como uma linha de produção sônica para transporte e montagem de objetos delicados, ou uma versão miniaturizada para transportar cápsulas de remédios ou instrumentos cirúrgicos em tecidos vivos.
 
“Foi uma experiência incrível quando vimos pela primeira vez o objeto sendo posto no lugar pelo raio trator”, disse o estudante de PhD Asier Marzo, líder da pesquisa. “Todo o meu trabalho árduo foi recompensado, é brilhante”.

Os pesquisadores usaram uma série de 64 alto-falantes em miniatura para ciar ondas sonoras de alta amplitude e frequência. O raio trator funciona ao envolver o objeto com som de alta intensidade, capaz de gerar uma espécie de campo de força. Controlando cuidadosamente as saídas dos alto-falantes, o objeto pode ser movido.
 
“No nosso dispositivo nós manipulamos objetos no meio do ar, aparentemente desafiando a gravidade”, disse Sriram Subramanian, da Universidade Sussex. “Nós controlamos individualmente dúzias de alto-falantes que nos dizem a solução ótima para geração de um holograma acústico que pode manipular objetos em tempo real, sem contato”.

A técnica aponta três formatos de campos de força acústicos que podem funcionar como raio trator. O primeiro se parece com um par de dedos, ou pinça; o segundo é um vortex sonoro, com os objetos sendo atraídos e bloqueados no fundo; e o terceiro se parece com uma gaiola, que prende o objeto de qualquer movimento.

“Nós todos sabemos que ondas sonoras têm esfeitos físicos. Mas aqui, nós gerenciamos o controle do som em um grau nunca alcançado antes”, disse Bruce Drinkwater, professor do departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Bristol.

 

Fonte: Ne10

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar