Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

UBER CHEGA A 500 MIL USUÁRIOS NO BRASIL

09/09/2015

A empresa norte-americana de transporte individual urbano Uber informou nesta terça-feira, 08/09, que alcançou a marca de 500 mil usuários no Brasil, anúncio feito um dia antes de importante votação de legisladores da cidade de São Paulo, que pode restringir a operação de serviços como os oferecidos pela companhia. A Uber iniciou operações no Brasil em maio do ano passado e atualmente oferece serviços para usuários de seu aplicativo nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte.

A empresa não divulgou dados detalhados sobre os usuários em cada cidade ou número médio de corridas realizados pelos motoristas cadastrados no serviço por mês. Desde que se popularizou, a Uber é alvo de protestos de taxistas e autoridades públicas do Brasil e de outras cidades do mundo, conforme a empresa avaliada em 50 bilhões de dólares se expande para além dos Estados Unidos.

No comunicado ao mercado, a Uber diz que, este ano, espera criar 1 milhão de novas oportunidades no mundo. Informa ainda que em pesquisa realizada com os motoristas nos Estados Unidos, 61% deles afirmaram que tem outro emprego fixo, e um terço deles disseram utilizar a plataforma como modo de complementar a renda familiar.

Na sexta-feira, dia 04, o CADE, órgão antitruste nacional, concluiu em estudo que não há elementos econômicos que justifiquem a proibição de novos prestadores de serviços de transporte individual de passageiros no Brasil, como a Uber. "Análises econômicas sugerem que, sob a ótica concorrencial e do consumidor, a atuação de novos agentes tende a ser amplamente positiva", disse o Cade em nota à imprensa, com base no estudo.

O levantamento tratou dos mercados de táxis e de caronas pagas e foi assinado pelo economista-chefe do Cade, Luiz Alberto Esteves. De acordo com o estudo, os serviços prestados pelos aplicativos que servem de plataforma no mercado de caronas pagas fornecem um mecanismo de autorregulação satisfatório e atendem um mercado até então não alcançado – ou atendido de forma insatisfatória – pelos táxis, além de ocasionar rivalidade adicional no mercado de transporte individual de passageiros.

Atualmente, o Cade analisa duas representações sobre a disputa entre o Uber e associações de taxistas. A primeira foi encaminhada ao Cade por grupos de taxistas da cidade de São Paulo, sob a alegação de concorrência desleal. A outra é uma representação de estudantes de Universidade de Brasília (UnB) e Centro Universitário de Brasília (UniCeub) contra associações e sindicatos de taxistas e alegando conduta anticompetitiva que impede "a prestação de serviços de transporte de passageiros".
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar