Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

VIVO CRIA APPS PARA SER UMA OTT E AUMENTAR MARKET SHARE NO PRÉ E NO PÓS-PAGO

04/09/2015

A Vivo não quer mais ficar esperando que apps surjam para ´roubar´ consumidores de dados da sua base de clientes. A operadora, que já tinha estabelecido o plano de se tornar também uma OTT, está lançando dois aplicativos, que têm como diferencial incentivar a interatividade e prêmios em dinheiro. O objetivo é simples: aumentar o consumo de dados e atrair clientes da base de operadoras rivais.

 “Não é verdade dizer que a Vivo não quer o pré-pago. Nós temos uma política mais rígida de desconexão nesse serviço, mas estamos na briga desse usuário. Como o estamos no pós-pago", sinalizou o Chief Revenue Officer da Telefônica Vivo, Christian Gebara, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 03/09, em São Paulo. O executivo também diz que não quer ´roubar´ usuários do WhatsApp e do Facebook. Mas reiterou que a intenção é, sim,manter o assinante interagindo o maior tempo possível dentro da rede da operadora.

Estrategicamente apostar em serviços de valor agregado é, hoje, a saída para garantir um aumento de receita. Gebara afirmou que, no ano passado, consumo de dados e SVA adicionaram R$ 1,6 bilhão à receita e 43,2 milhões de usuários. No total, a empresa soma 88 serviços de valor agregado, com destaque nas áreas de Entretenimento, Educação e Segurança. Esse ano, apenas no primeiro semestre, quase R$ 1 bilhão, o que significa que 2015 terá, pelo menos, uma adição de R$ 2 bilhões, com um impulso acima de 20%, mesmo com o momento econômico mais delicado. "Até o momento não sentimos nenhuma desaceleração em valor agregado", pontuou Gebara.

Com interatividade e premiação, a Vivo apresentou dois apps: um voltado para o consumidor final, interessado em música, o Meu Show, no qual acontece uma competição para a revelação de novos talentos. Na fase de seleção, qualquer cliente de outra operadora poderá baixar o app, mas para disputar o prêmio de até 500 mil reais, terá de comprar um chip da Vivo. "Pode ser um pré-pago sem problema e os vídeos terão 27 segundos, o que nos coloca sem nenhum problema com direito autoral, caso o candidato cante música de músicos famosos", explicou Alexandre Fernandes, diretor de Serviços de Valor Agregado e Inovação da Telefônica Vivo.

Até 22/09, os participantes poderão publicar vídeos no Vivo Meu Show. A partir do dia 23 de setembro, estará aberta a votação popular, com escolha do tipo “curti x não curti”, para eleger os 256 artistas que participarão do concurso. Depois, começam os duelos entre os candidatos. Serão quatro finalistas e o grande campeão será conhecido no dia 26 de novembro. A modalidade paga custará R$ 3,99 por semana. O desenvolvimento do serviço aconteceu em parceria com a Movile e a Kontente, responsável pela interface.

Já o segundo aplicativo é voltado para empreendedores. Batizado de Meu Negócio, o app tem Roberto Justus como juiz de um concurso que vai eleger três empreendimentos ou empreendedores vencedores. Neste caso, serão R$ 200 mil em prêmios. Mais uma vez, apenas clientes Vivo podem competir, inscrevendo um plano de negócios. Mas usuários de outras operadoras podem baixar o app e pagar para ter acesso aos conteúdos, compostos por dicas, testes e vídeos do empresário/ator.
 
 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar