Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MICROSOFT LIBERA ATUALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA NO WINDOWS PARA FALHA NO IE

19/08/2015

Quando a Microsoft diz que uma falha que afeta o Windows é “crítica”, a ponto de divulgar uma correção emergencial, é melhor prestar atenção.

Uma vulnerabilidade zero-day no Internet Explorer permite a um invasor sequestrar o controle do seu computador. Basta visitar uma página com código malicioso, sem nenhuma interação adicional por parte do usuário.

O IE é o segundo navegador mais usado do mundo, com 17,6% dos acessos segundo o StatCounter. A falha foi descoberta por Clément Lecigne, pesquisador do Google.

O especialista em segurança Graham Cluley explica que o invasor tem os mesmos direitos que o usuário atual. Ou seja, se você tiver direitos de administrador, o hacker pode assumir controle total do seu PC. A partir daí, ele poderia roubar informações, instalar mais malware, entre outros.

Como explica a Microsoft, há diversas formas de levar você a um site malicioso: “o invasor pode tirar proveito de sites invadidos, ou de sites que aceitem ou hospedem anúncios ou conteúdo fornecido por usuários, ao adicionar conteúdo especialmente desenvolvido que possa explorar esta vulnerabilidade”.

Windows Update e KB3087985

A correção KB3087985 já está disponível através do Windows Update, e exige que o computador seja reiniciado.

A falha afeta todas as versões do Windows, e é considerada crítica no Vista/7/8/RT/RT 8.1/10. (O Windows XP não é mencionado porque não recebe mais atualizações de segurança, e pode estar vulnerável.)

A vulnerabilidade é classificada como moderada no Windows Server 2008/2008 R2/2012/2012 R2, pois esses sistemas têm uma ferramenta que “protege contra ameaças novas e desconhecidas”.

O Microsoft Edge, presente apenas no Windows 10, não é afetado pela falha. No entanto, todas as versões do IE estão vulneráveis – incluindo a que acompanha o Windows 10.

No mês passado, a Microsoft também teve que lançar um patch emergencial de segurança: devido a um bug na maneira como o Windows lida com fontes personalizadas, um hacker poderia usar uma fonte personalizada em uma página da web ou documento e executar código remotamente no PC.

 
 
 
Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar