Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

AMD: POR QUE ESCOLHER UMA PLACA GRÁFICA PROFISSIONAL?

16/03/2015



Um dos melhores – e ao mesmo tempo, mais assustadores – fatos sobre a indústria da computação é a ampla taxa de mudanças. É impressionante a habilidade de desenvolvimento quanto a da indústria de tecnologia para inovar e melhorar os produtos atuais, ao mesmo tempo em que reduz os preços dos anteriores. E isso cria uma situação onde escolher uma placa de vídeo se torna controverso: por quê pegar uma GPU topo de linha se as anteriores são quase igualmente capazes?

Antes, precisamos observar a realidade deste mercado: a atualização constante gera a democratização da tecnologia. Há uma década atrás, a filmagem e edição de imagens em bons padrões era uma tarefa exclusiva para profissionais. Trabalhos com a parte estética e gráfica eram realizados apenas em estúdios propícios para isso. Hoje, os componentes vendidos permitem que trabalhos que exigem muito potencial visual dos computadores possam realizados em máquinas pessoais.

Placas de consumo x Placas profissionais: entenda a diferença entre as GPUs

Para compreender a necessidade, é preciso observar o quê torna um produto diferente do outro. A maioria dos computadores pessoais ou de empresas convencionais não possui uma necessidade crítica para gráficos. Nesse aspecto, muitos PCs, por exemplo, podem ser utilizados para trabalhos de escritório no processamento de aplicativos – e para esta função, as GPUs de consumo são ideais.

Com o passar do tempo, estas placas de consumo se tornaram mais importante que as CPUs para lidar com cargas computacionais a serem processadas. Este traço se torna ainda mais evidente com os jogos mais recentes. já que todo o potencial de operação das GPUs se torna necessário. A sinergia entre estas áreas é evidente, e como os games precisam de produtos cada vez mais potentes, as placas não ficam atrás em termos de potencial gráfico e execução.

A necessidade de placas gráficas profissionais, no entanto, é diferente. Elas podem ser utilizadas em uma instalação com múltiplas placas em um data center para processar grandes conjuntos de dados. A renderização de uma cena de efeitos especiais em um filme e o processamento de um aplicativo CAD são exemplos perfeitos de situações onde o desempenho é essencial para o negócio, e precisam de performance altamente confiável.

Quanto mais velho, melhor?

O fator da confiança nestes produtos é um aspecto que merece destaque: a maioria das workstations cujo funcionamento é crítico para o usuário são construídas do zero com uma certa especificação. Ao mudar essa configuração, todo o processo precisa ser modificado em conjunto.

Ter acesso à soluções antigas, por mais contra-intuitivo que pareça no mundo de hoje, é vital. Esta é uma das razões pela qual a NASA, por exemplo, raramente modificou qualquer uma de suas tecnologias de seu ônibus espacial: ela funciona, e de maneira confiável e preditiva. Enquanto qualquer mudança pode ser catastrófica, o foco está em encontrar em uma solução conhecida ao invés de uma nova.

Com os altos custos envolvidos no planejamento e implementação em negócios onde o desempenho gráfico é essencial, é mais importante substituir as placas gráficas profissionais com algo exatamente igual ao invés das opostas que possam ser incompatíveis com os aplicativos que você está rodando. Nesse caso, ter uma garantia maior é vital – por exemplo, a garantia da AMD FirePro é de três anos. Além disso, o acesso a tais produtos por um período estendido de tempo é igualmente importante – exemplificado pela AMD FirePro oferecendo dois a cinco anos de disponibilidade.

Finalmente, existem os drivers e suas respectivas interoperabilidades. Os criadores de softwares profissionais maximizam a performance de suas aplicações conforme os produtos das linhas de placas gráficas e profissionais, para que tais workstations tenham máximo desempenho. Aplicativos como Autodesk Maya, Adobe After Effects e AutoCAD, por exemplo, possuem um funcionamento altamente compatível.

O contraste com a linha de produtos de consumidor

Placas gráficas de consumo oferecem seus próprios benefícios e são construídas com finalidades específicas. Seus preços são normalmente acessíveis ao público, e suas tecnologias recebem atualizações constantes e boa relação em custo-benefício. Essas GPUs foram criadas para necessidades diárias, oferecendo ganhos de performance e velocidade no cotidiano, graças à necessidade da indústria de jogos que continua inovando esta área.

Em suma, a escolha das placas deve ser feita conforme o propósito de uso. Há inúmeras razões para escolher uma placa de nível comercial, mas quando se trata de funções críticas, uma placa gráfica profissional se torna mais importante. Confiança, interoperabilidade e um modelo para longo termo são elementos vitais para que o investimento inicial em placas gráficas profissionais valham a pena por muito tempo.
 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar