Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PERÍODO ELEITORAL FEZ AUMENTAR DENÚNCIAS DE RACISMO NA WEB, DIZ SAFERNET

11/02/2015

As eleições de 2014 contribuíram substancialmente para o aumento no número de denúncias relacionadas a racismo no ano passado, segundo informou nesta terça-feira (10) a Safernet, entidade de proteção e combate a violações dos direitos humanos na internet). Comparado com 2013, houve um aumento de 34,15% de reclamações em 2014.

"Entre 6 de julho e o fim da eleições, recebemos grande número de links relacionados a manifestações de racismo. Especialmente, contra nordestinos", disse Thiago Tavares, presidente da Safernet, durante evento sobre o Dia da Internet Segura.

Ao todo, a entidade registrou 86.570 denúncias sobre racismo, referentes a 17.291 páginas distintas. Dessas, de acordo com a Safernet, 1.617 foram removidas.  A maioria das ocorrências diz respeito a publicações em redes sociais.

Só no dia após a divulgação dos resultados referentes ao segundo turno (27 de outubro), foram recebidas 10.376 denúncias anônimas -- o que foi considerado um recorde histórico pela Safernet, superando o ano de 2006, quando houve situação semelhante.

Sobre o fenômeno, Diana Calazans, chefe da divisão de repressão a crimes cibernéticos da Polícia Federal, acredita que essa mobilização deve diminuir com o tempo. "As pessoas vão perceber que essas condutas causam danos e elas vão ter de responder. Imagino que nas próximas eleições esse fenômeno tende a diminuir, pois já deveremos ter responsabilizações", disse.

Apesar do crescimento de ocorrências, Tavares ressalta que houve muitos falsos positivos. Segundo ele, tiveram vários casos de denúncias que não procedem, que foram motivadas pelo calor do debate eleitoral.

"É como o 190 da Polícia Militar. Há uma quantidade enorme de pessoas que se dão ao trabalho de ligar para a polícia e passar trote. Imagine isso na internet, onde a denúncia é anônima e o processo consiste em copiar e colar um link", ponderou o presidente da Safernet, sobre as denúncias registradas na página denuncie.org.br, que serviram de base para a pesquisa.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar