Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ENTENDA COMO FUNCIONA O XDMA NO CROSSFIRE COM PLACAS AMD R9 285, 290, 290X E 295X2

10/02/2015

 
 
 

As placas de última geração da AMD vêm com um recurso novo, porém pouco conhecido, chamado AMD CrossFire Direct Memory Access, ou XDMA. Você sabe para que serve? Para quem não conhece, esta tecnologia permite a utilização de duas ou mais placas de vídeo em CrossFire diretamente através do conector PCI da placa-mãe, sem necessidade de conectores(conhecidos como ponte / bridge). Hoje, iremos explicar um pouco melhor como o recurso funciona, quais cenários ela é capaz de enfrentar e quais as melhorias que ela traz para o desenvolvimento de GPUs.


Multi-GPUs: como tudo funcionava
Anteriormente à invenção do XDMA, para duas placas de vídeo operarem em conjunto era necessária a utilização de uma "ponte" (bridge), ou "conector" entre as duas GPUs. A conexão era instalada na parte superior das placas, fixando-se em um pequeno encaixe dourado na placa de circuito da GPU. Um exemplo disso está logo abaixo, demonstrando o CrossFire instalado em duas AMD Radeon HD 7970 GHz Edition.



A ponte externa era uma solução avançada que permitia a comunicação entre duas GPUs para uma tarefa muito importante: a de copiar informações entre as placas para exibir aos jogadores um frame já renderizado nos jogos.

Embora a ponte externa tenha sido uma solução multi-GPU por muitos anos na indústria de placas gráficas, a necessidade de um terceiro componente incomodava muitos entusiastas de PC. Além disso, a velocidade de comunicação estabelecida entre as duas placas tornava-se obsoleta quando o assunto era o suporte de transmissão de dados em telas 4K, já que sua velocidade máxima era de apenas 900MB/s.

Para encarar esse novo panorama, as novas placas da AMD introduziram uma nova e única abordagem para a utilização de multi-GPUs: o XDMA.

Modernização das Multi-GPUs com XDMA
Para criar a comunicação entre múltiplas placas em um sistema sem a necessidade de um conector externo, o XDMA opera através da abertura de um canal direto de comunicação estabelecido entre as portas PCI Express onde as GPUs estão instaladas. A função dessa "ponte interna" é distribuir informações gráficas entre as placas de vídeo e o processador, qualificando-as na tarefa de coleta de dados de que cada placa estaria trabalhando durante os games.



Os conectores PCI Express das placas também possuem outra vantagem: a capacidade de banda. Este tipo de conexão transmite dados com uma capacidade muito maior do que as pontes externas. Segundo a análise da Anandtech sobre a XDMA, uma ponte externa transmite 900MB/s, enquanto um slot PCIe 3.0 x16 pode oferecer até 32GB/s – aproximadamente 35x mais banda do que a tecnologia anterior.

Graças à velocidade deste tipo de conexão, o CrossFire da AMD consegue lidar com a renderização de cenários UltraHD nas placas de vídeo conectadas. Por esta razão é dito que as placas com suporte a esta tecnologia – as Radeon R9 285X, 290, 290X e 295X2 – são apropriadas para jogos em resolução 4K.

O XDMA consegue conectar diretamente e especificamente os "controladores de tela" nas respectivas GPUs em uma configuração AMD CrossFire. Esses controladores são responsáveis por enviar uma cena de jogo renderizada de uma placa para o monitor. Essa conexão direta ocorre muito mais rapidamente com a alta velocidade de transmissão da PCIe, evitando cabos e conectores extras, ocorrendo diretamente na placa-mãe. 


XDMA: Lista de Recursos
- É uma solução única na indústria gráfica, sem outros similares no mercado de GPUs;
- Elimina a necessidade de instalação de pontes externas;
- Designada para performance com sistemas que utilizam PCI Express 2.0 x16 (16GB/s), PCI Express 3.0 x8 (16GB/s) e PCI Express 3.0 x16 (32GB/s);
- O canal de dados liberado pela XDMA é totalmente dinâmico, distribuindo conforme a demanda do jogo, assim como adaptando-se com recursos avançados do usuário, como a sincronização vertical (vSync);
- Designada para exibição de UltraHD via DisplayPort, permitindo jogos em 2160p60 na série AMD Radeon R9 290;
- Suporte completo aos algorítimos de "frame pacing" implementados no AMD Catalyst, com melhorias no recurso de implementados
na última atualização dos drivers
 
 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar