Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ESTADO ISLÂMICO INVADE TWITTER DE COMANDO CENTRAL DO PENTÁGONO

13/01/2015

 
 

Hackers simpatizantes do EI (Estado Islâmico) invadiram o Twitter do Centcom (Comando Central do Pentágono) --órgão encarregado das operações militares dos Estados Unidos no Iraque e na Síria-- e alteraram a imagem representativa da conta com a mensagem: "Eu amo o ISIS [sigla do grupo terrorista em inglês]".  Foram publicadas também mensagens extremistas e dados pessoais de membros americanos. Após a invasão, a conta foi tirada do ar.

"Este episódio é claramente constrangedor, mas não uma ameaça à segurança", disse um oficial do Departamento de Defesa dos EUA ao site americano "NBC News".

Em um dos posts, o hacker comunicou a invasão do que ele classificou de "ciberjihad". "Em nome de Alá, o mais gracioso, o mais misericordioso, o Cibercalifado sob patrocínio do ISIS continua sua Ciberjihad", disse.

Reprodução/Twitter

O grupo fez ainda um alerta: "Enquanto os Estados Unidos matam nossos irmãos na Síria, Iraque e Afeganistão nós invadimos suas redes e dispositivos pessoais e sabemos tudo sobre vocês (...). O ISIS já está aqui, estamos em seus PCs, em cada base militar. Com a permissão de Alá estamos agora no Centcom." 

Foi publicada uma lista de endereços, números de telefones e nomes de generais, soldados e militares aposentados do Comando Central. Em tom de ameaça, o comunicado ainda relata que o Estado Islâmico não vai parar. "Soldados americanos, cuidado", diz uma das mensagens ameaçadoras. "Sabemos tudo sobre vocês, suas mulheres e crianças. Soldados dos Estados Unidos, estamos de olho em vocês!."

Segundo a BBC, o Centcom disse que estava tomando as "medidas apropriadas" e já tinha retirado a conta do ar para que as mensagens não mais se espalhassem pela rede. 

A aparente invasão ocorreu enquanto o presidente norte-americano, Barack Obama, se prepara para delinear novas propostas para proteger os sistemas de Internet do país contra ameaças de segurança cibernética. À BBC, o porta-voz do governo americano Josh Earnest disse que os EUA estão investigando a extensão do incidente.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar