Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

POLÍCIA INVESTIGA AUTOR DE PERFIL QUE CLASSIFICOU ALUNAS COM PROSTITUTAS

03/11/2014

Três delegacias do Maranhão investigam a autoria de um perfil no Facebook que publicou fotos de 20 meninas com ofensas pornográficas. As vítimas de ciber bullying têm idades entre 12 e 15 anos e estudam numa escola pública na capital maranhense. Segundo a polícia, o autor das ofensas vai responder pelos crimes de injúria e de difamação.

Fotos das páginas das adolescentes foram copiadas e postadas no perfil falso como se elas fossem prostitutas. Na descrição das imagens foram usados conteúdos difamatórios com ofensas e expressões pornográficas.

O caso começou a ser investigado depois que um dos pais das adolescentes gravou um vídeo com todas as imagens da página, imprimiu o conteúdo e entregou o material à DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente).

A polícia suspeita que o autor da página seja um aluno da mesma escola e tenha menos de 18 anos. Por esse motivo, o caso também foi repassado para a Delegacia Especializada e Atendimento ao Adolescente Infrator. Em paralelo às investigações, o Departamento de Crimes Tecnológicos da Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais) rastreia o IP (número de identificação) do computador que foi usado para criação da página.

"Estamos tentando identificar de onde foram feitos os acessos para criação e manutenção da página, qual computador e o IP. Após essa etapa, vamos investigar se a ação teve a participação de um ou mais adolescentes", disse o delegado Odilando Filho, que informou que já acionou a Justiça para a quebra de sigilo dos dados do perfil.

Em depoimento à polícia, as adolescentes disseram que estão envergonhadas e não querem ir para a escola. Elas afirmaram ter vergonha de vestir os uniformes e serem identificadas por outros estudantes.

"É importante garantir o atendimento psicológico e social para que as vítimas consigam superar a ocorrência do crime. Também precisamos garantir proteção a essas meninas", destacou o promotor da Infância e do Adolescente de São Luís, Márcio Thadeu Marques.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar