Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

WIKIMEDIA BATE O PÉ E POLEMIZA EM SELFIE TIRADO POR MACACA

08/08/2014

A Wikimedia reconheceu uma macaca como uma fotógrafa autêntica. Não é viral para o novo do Planeta dos Macacos, mas uma decisão jurídica sobre uma foto que se tornou muito popular na Internet.

A confusão começou em 2011, quando o fotógrafo David Slater teve sua câmera digital “furtada” por uma rara macaca de crista negra na Indonésia. Movida pela curiosidade, a fêmea da espécie tirou centenas(!) de fotos de si mesma, em uma época em que o termo selfie nem havia sido ainda adotado oficialmente. O fotógrafo recuperou a máquina e o caso ganhou os jornais como uma curiosidade.

As melhores fotos foram parar no acervo da Wikimedia Commons, que oferece imagens de domínio público gratuitamente. O mais famoso selfie da macaca chegou a ser eleito como a melhor foto em domínio público disponível no serviço. Vamos combinar que esse sorrisão merece:

SULAWESI or CRESTED BLACK MACAQUE (Macaca nigra).   Sulawesi, Indonesia.

Mas quem não sorriu nem um pouco com essa história toda foi David Slater, que reivindicou que a imagem fosse removida do serviço, alegando ser o único e verdadeiro detentor dos direitos autorais. Segundo sua argumentação, ele bancou a viagem para a ilha de Sulawesi, onde vive a macaca, pagou uma equipe de guias, comprou o equipamento fotográfico completo e investiu tempo e dinheiro para encontrar o animal. Ele ainda defende que qualquer fotografia tirada por um assistente contratado também pertenceria a ele e que a macaca, de certa forma, foi sua assistente naquele dia.

Certo ou errado? No entendimento da Wikimedia, Slater está errado e a macaca é a verdadeira fotógrafa. Mas como um animal não pode ser o detentor de direitos autorais, a imagem cai em domínio público. De acordo com a Wikimedia, ninguém menos que o próprio David Slater frisou na época que a macaca era a única responsável pelas fotos e ele não devia reclamar agora.

Slater não concorda com a decisão tomada pela Wikimedia e pretende resolver a questão nos tribunais. Ele alega ter perdido mais de 10 mil libras desde que a imagem apareceu no Wikimedia Commons e exige ressarcimento.
 
 
 
 
Fonte: Codigo Fonte

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar