Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

TRANSISTORES DE NANOTUBOS DE CARBONO QUE SALVARÃO A LEI DE MOORE ESTARÃO DISPONÍVEIS EM 2020

02/07/2014

Nosso mundo de eletrônicos incrivelmente pequenos pode ficar ainda menor. Após uma década de pesquisa, a IBM diz que vai levar transistores de nanotubos de carbono ao mercado em 2020. A empresa agora prepara a tecnologia para suceder os transistores de silício, e isso abre portas para um futuro empolgante.

Atualmente, o menor transistor de silício da Intel mede 14 nanômetros. Ele já é bem pequeno. Não é, no entanto, pequeno o bastante para a inovação manter a Lei de Moore, que diz que o número de transistores que cabem em um circuito deve dobrar a cada dois anos (algo assim). A Lei de Moore é como a IBM atrela a comercialização de transistores de nanotubos de carbono para 2020, quando a empresa diz que chips feitos de nanotubos com cinco nanômetros estarão disponíveis. “É até aí que o dimensionamento de silício funciona”, explica Wilfried Haensch, chefe do programa de nanotubos de carbono da IBM.

Mas não é só uma questão de tamanho. Chips feitos de nanotubos de carbono são até três vezes mais rápidos e usam só um terço da energia dos de silício. A tecnologia já é real. A IBM está construindo transistores de nanotubos de carbono há alguns anos, mas assim que eles chegarem ao mercado convencional, será empolgante ver que tipo de inovação a tecnologia proporcionará. Enquanto isso, já sabemos que é possível criar um computador inteiro usando só nanotubos de carbono, então esse futuro não está muito distante. 
 
 
 
Fonte: Gizmodo

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar