Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

DESIGNER LISTA AS PIORES COISAS SOBRE TRABALHAR NA APPLE

12/02/2014

A Apple é uma das maiores empresas do mundo e, provavelmente, uma das que mais valoriza o design de seus produtos. Desta forma, seria lógico que o sonho de uma grande parte dos designers do mundo inteiro inclua trabalhar para a empresa da maçã. Mas o que era sonho para o jovem Jordan Price, acabou se tornando um pesadelo, graças a uma experiência horrível na companhia.

Quem acompanha o Olhar Digital, já viu que trabalhar nas grandes empresas de tecnologia nem sempre é o sonho que muitas pessoas dizem ser, como contamos nesta matéria sobre o Google  Normalmente há defeitos em todas as empresas, e, claro, muitas vezes os benefícios são excelentes, assim como os pagamentos, mas nem sempre estas vantagens compensam o stress. Alguns não aguentam a pressão, ou o assédio moral e acabam deixando a empresa onde sonharam trabalhar por tanto tempo.

Foi o caso de Price na Apple. Ao receber a notícia de que havia sido aprovado na Apple após três entrevistas de duração inferior a uma hora, ele alcançou seu sonho, para vê-lo desmoronar em pouco tempo. Ele foi até sua página no Medium para relatar sua experiência negativa.

Morador de San Francisco, Jordan Price passou a ter que se deslocar diariamente para a cidade de Cupertino, onde fica a sede da Apple. Os horários rígidos, somados ao tempo de deslocamento, tornaram impossível que ele convivesse com sua filha durante a semana. Então, ele passou a encontrá-la apenas durante os fins de semana.

Este foi um grande problema, mas não foi o único. Price encontrou um problema que já foi relatado por ex-funcionários no Google, que são os chefes de meio-de-campo. Seu superior imediato na hierarquia da empresa era horrível como líder.

“Meu chefe, que tinha o hábito de disparar insultos disfarçados de ‘piadas’ a qualquer um abaixo dele e começou a me insultar direta e indiretamente. Começou a me avisar de que meu contrato não seria renovado se eu fizesse ou deixasse de fazer certas coisas. Ele ficava nas minhas costas me pressionando para concluir tarefas de mundanas de design que ele achava que precisavam ser examinadas urgentemente. Ele foi democrático sobre seus comentários rudes, mas não me fez sentir melhor quando ele começou a direcioná-los aos meus colegas. Eu me sentia mais como um adolescente, trabalhando em uma loja do que um profissional trabalhando em uma das maiores empresas de tecnologia do mundo”, relata ele.

As reuniões e burocracia da empresa também pareciam ser um problema para Jordan Price, que, segundo ele, precisou lidar com tantas senhas, contas e logins que levou “quase um mês para entrar no servidor”. Além disso, os encontros entre as equipes aconteciam com tanta frequência que atrapalhavam a produtividade dos funcionários. No entanto, ele considera que as reuniões eram “um mal necessário para uma empresa com produtos de qualidade tão alta”.

O resultado da insatisfação é óbvio. Durante uma tarde de trabalho, após receber um insulto de seu chefe, percebeu que não conseguia mais manter seu foco nas suas tarefas e decidiu sair da empresa, não sem antes deixar um bilhete alertando seu superior de que ele era o pior chefe que ele já encontrou em sua carreira profissional e que não conseguiria trabalhar para ele, não importa o quão bonito possa parecer ter o nome Apple no currículo.

Claro, a experiência de Jordan foi extremamente pessoal e não quer dizer que a Apple é uma empresa horrível para se trabalhar. O caso serve apenas como uma lição de que mesmo o emprego dos sonhos pode se tornar insuportável com algumas condições negativas.
 
 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar