Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

´OPERADORES DE BITCOINS´ SÃO ACUSADOS DE FACILITAR COMPRA DE DROGAS

28/01/2014

Os operadores de duas redes de trocas da moeda virtual bitcoin foram detidos nos EUA nesta segunda-feira.

Robert Faiella, conhecido como "BTCKing", e Charlie Shrem, do site Bitinstant.com, foram indiciados por lavagem de dinheiro.

Autoridades alegam que ambos faziam parte de um esquema para vender mais de US$ 1 milhão (R$ 2,4 milhões) em bitcoins a usuários do site de drogas ilegais Silk Road - fechado no ano passado.

Shrem, de 24 anos, foi preso no domingo, no aeroporto JFK, em Nova York. Faiella, de 52 aos, foi detido nesta segunda-feira em sua casa, em Cape Coral, Flórida.

Moeda

Bitcoins são unidades monetárias virtuais que têm valor porque um número suficiente de pessoas acredita nela e porque há uma quantidade finita de suas unidades.

Cada bitcoin é representada por um número de registro virtual único. E as redes de troca permitem que usuários troquem suas bitcoins por moedas tradicionais.

Shrem é acusado de permitir que Faiella usasse o BitInstant.com para comprar grandes quantidades de bitcoins para vender a usuários do Silk Road, que queriam comprar drogas anonimamente.

Segundo autoridades, Shrem sabia que as bitcoins eram usadas para fins ilegais - por isso, alegam que ele violou o Ato de Segredo Bancário dos EUA.

O Ato exige que instituições financeiras nos EUA avisem autoridades de qualquer atividade suspeita que sirva de indício para lavagem de dinheiro.

"Os dois réus foram indiciados por terem contribuído e facilitado a venda anônima de drogas, com ganhos substanciais", afirmou James Hunt, da agência antidrogas dos EUA.

´Vista grossa´

"Nosso papel é investigar e identificar quem incita o comércio ilegal de drogas em todos os níveis de produção e distribuição, incluindo os que enchem seus bolsos fingindo ignorância ou fazendo vista grossa", agregou o policial.

"É lamentável que o Silk Road continue a ocupar manchetes por sua associação com as bitcoins - é o lado negro das bitcoins, que não tem relação com a vasta maioria dos usuários da moeda digital", disse à BBC Emily Spaven, editora do site Coindesk.

Shrem é membro-fundador e vice-presidente da Fundação Bitcoin, organização criada para promover a moeda virtual como alternativa em transações comerciais.

"Estamos surpresos e chocados com a notícia (da prisão de Shrem)", disse um porta-voz da fundação. "Levamos tais acusações a sério e não apoiamos atividades ilegais."

 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar