Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

PORTAL DE DENÚNCIA DE PIRATARIA DE SOFTWARE ENCERRA 2013 COM 31 MIL INDICAÇÕES

23/01/2014

O Portal de Denúncia de Pirataria de Software – www.denunciepirataria.org.br – encerrou 2013 com a marca de 31 mil denúncias envolvendo a comercialização, aquisição ou uso de programas ilegais. Assim, 12 mil empresas foram vistoriadas, tendo a maioria já realizado a regularização do software em uso. Lançado em novembro de 2012 pela ABES - Associação Brasileira das Empresas de Software em parceria com a BSA – The Software Alliance, o canal é uma das diversas ações das entidades para combater a pirataria de software no país. As denúncias são 100% anônimas e podem ser realizadas por qualquer cidadão que encontre irregularidades no uso, venda ou distribuição de software por lojas físicas, online e empresas.

Do total das 31 mil denúncias, mais de 20 mil são únicas, considerando que uma empresa pode ser indicada diversas vezes. Deste total, 60% já foram vistoriadas impactando a regularização de diversas empresas. Hoje, o portal conta com 10 fabricantes cadastrados no programa: Adobe, Audaces, Autodesk, Dassault, Microsoft, Progress, PLM, Siemens, Sybase, Symantec e Tekla. As denúncias são encaminhadas aos fabricantes para verificação de acordo com o seu processo interno.

Com a ajuda do Portal de Denúncias e da sociedade ativa foi possível apreender 487.852 CD e DVDs de software pirata em 2013. Além disso, 129 revendas de informática foram abordadas por autoridades policiais locais nas regiões Sul e Sudeste com suspeitas de comercializar programas de computador falsificado. No total, os agentes policiais, com suporte logístico da ABES, conseguiram apreender nessas revendas aproximadamente 3 mil itens piratas, entre software e seriais para ativação de programas de computador.

“Estamos muito satisfeitos com os resultados alcançados, os números superaram nossas expectativas e, é gratificante ver como a sociedade vem contribuindo com as denúncias e como os fabricantes de software estão empenhados em combater a venda de programas ilegais. O desrespeito aos direitos da propriedade intelectual enfraquece o princípio da legalidade do crescimento econômico, bem como o desenvolvimento de tecnologias inovadoras. Cria um mercado injusto em que as empresas honestas não são capazes de competir”, ressalta Jorge Sukarie, presidente da ABES.

Aplicativo móvel

Para incentivar e facilitar ainda mais o acesso da população a entidade também lança oficialmente o aplicativo gratuito “Denuncie Pirataria”, disponível para as plataformas Android , IOS e Windows Phone.

Infográficos

As empresas denunciadas se localizam majoritariamente na região Sudeste e Sul, com 31% e 8,64%, respectivamente. Seguidas do Nordeste (1,92%), Centro-Oeste (1,44%) e Norte (0,41%).

Denúncias


Fonte ABES


Fonte ABES


  Fonte ABES


  Fonte ABES

Em 2013, 129 revendas de informática foram abordadas por autoridades policiais suspeitas de comercializar programas e licenças de computador ilegalmente. Nesses locais, foram apreendidas 2812 mídias piratas. A região Sul obteve o maior registro de apreensões (1905) e revendas abordadas (80).

No site do Portal estão disponíveis todas as informações necessárias e o passo a passo para realizar uma denúncia anônima: www.denunciepirataria.com.br

Sobre a Iniciativa Empreendedor Legal

A iniciativa faz parte dos esforços da ABES em diminuir o uso de software pirata no Brasil. Tem o objetivo de despertar a consciência sobre essa atividade que anda na contramão do crescimento econômico e da prosperidade do país. O portal www.empreendedorlegal.org.br traz informações sobre as leis brasileiras e internacionais contra a Concorrência Desleal e Defesa da Propriedade Intelectual; aponta os riscos técnicos; traz recomendações de deixar os ativos de software em conformidade com a legislação em vigor.

Em 2013, a Iniciativa foi premiada pelo Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) como melhor iniciativa do eixo econômico de 2013, pelo seu trabalho de conscientização do uso de software original em todos os segmentos da economia brasileira.

A iniciativa também conta com a parceria das entidades governamentais e da indústria: ABPI - Associação Brasileira da Propriedade Intelectual; da APEX – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos; BSA - The Software Alliance; CNC – Confederação Nacional do Comércio; do CNCP - Conselho Nacional de Combate à Pirataria; do ETCO - Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial e do MBC - Movimento Brasil Competitivo e o SEBRAE.
 
 
 
 
Fonte: Adrenaline

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar