Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

HOMEM É INTERROGADO PELO FBI POR USAR O GOOGLE GLASS NO CINEMA

22/01/2014

Como já foi visto antes, o Google Glass causa algumas situações novas com as quais as autoridades ainda não estão prontas para lidar. Foi o caso de um homem na cidade de Columbus, nos Estados Unidos, que foi ao cinema usando o gadget e acabou sendo interrogado por uma hora por oficiais do FBI.

A acusação, claro, é de que ele estaria usando o aparelho, que contava com lentes de grau, para gravar o filme em cartaz e distribui-lo na internet. Contudo, quando analisado o conteúdo do aparelho, não havia nada além de fotos da esposa e do cachorro e o Glass estava desligado naquele momento.

De forma anônima, a pessoa fez seu relato no Gadgeteer, contando o que se passou enquanto ia com sua esposa assistir ao filme "Jack Ryan: Shadow Recruit". Segundo ele, com cerca de uma hora de filme, alguém com uma insígnia arrancou seu Glass e ordenou que ele saísse da sala. Do lado de fora, entre 5 e 10 policiais e seguranças o aguardavam.

O relato diz que ele foi revistado, seus aparelhos confiscados, mas que o FBI não dizia que ele estava preso, mas pedia sua cooperação, ou "coisas ruins podiam acontecer" com ele. O anônimo pediu para que eles verificassem o Glass para conferir que de fato não havia nada. Isso só foi feito após uma hora de pressão e interrogatório, com os oficiais pedindo para que ele confessasse e querendo saber tudo sobre ele, sobre o motivo de ele estar gravando o filme (não estava) e para quem ele iria entregar a cópia (não existente) do filme. Eles reafirmavam que não estavam interessado nele, e que preferiam pegar seu "superior" na linha de comando.

Foi só depois de uma hora que alguém com um cabo USB e um laptop apareceu e analisou todas as fotos pessoais gravadas no dispositivo e concluiu que não havia nenhum vídeo do filme em cartaz. O celular também foi revirado e ele foi liberado sem nenhuma acusação.

Por fim, ele recebeu quatro ingressos gratuitos para voltar ao cinema quando preferisse, o que o enfureceu ainda mais. "Eu ficaria mais satisfeito com um ´eu sinto muito pelo que aconteceu, por favor aceite nossas desculpas´. Quatro ingressos grátis apenas serviram para me deixar com mais raiva", ele conclui.

 
 
Fonte: Olhar Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar