Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

FACEBOOK INVESTE EM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA SE TORNAR MAIS RELEVANTE

17/12/2013

O Facebook está trabalhando para se tornar o seu novo melhor amigo, conhecendo-o melhor mediante a introdução de software baseado em inteligência artificial na rede social de mais de 1 bilhão de usuários.

A companhia californiana contratou o professor Yann LeCun do Center for Data Science da Universidade de Nova York para liderar um laboratório de inteligência artificial, destinado a usar tecnologia de ponta para tornar o Facebook mais interessante e relevante.

Atualmente, o feed de notícias do Facebook pode parecer um amontoado aleatório, mas LeCun argumenta que "pode ser melhorado com sistemas inteligentes".

"Isso poderia incluir coisas como classificar [os posts] no feed de notícias ou determinar os anúncios que aparecem aos usuários, para que sejam mais pertinentes", disse ele à AFP, depois de sua nomeação em 9 de dezembro.

"Também há coisas que estão menos conectadas diretamente, como analisar conteúdo, entender a linguagem natural e ser capaz de modelar os usuários (...) para ensinar-lhes coisas novas, entretê-los e ajudá-los a alcançar seus objetivos."

Dado Ruvic/Reuters
Facebook terá instalações de laboratório de pesquisa de inteligência artificial em Nova York, Londres e em Menlo Park
Facebook terá instalações de laboratório de pesquisa de inteligência artificial em Nova York, Londres e em Menlo Park

O Facebook é a maior rede social do mundo, mas enfrenta o desafio de continuar crescendo, manter seus usuários engajados e ter publicidade suficiente para gerar aumento de sua receita sem perder adeptos.

LeCun disse que o novo laboratório de inteligência artificial será a maior instalação de pesquisa desse tipo no mundo, embora tenha se recusado a dar detalhes.

"Nosso único limite é a quantidade de pessoas inteligentes no mundo que podemos contratar", afirmou o matemático e cientista da computação.

O laboratório terá instalações em três cidades --Nova York, Londres e Menlo Park, onde está a sede do Facebook-- e será parte da ampla comunidade de pesquisa de inteligência artificial, de acordo com LeCun, que começa a trabalhar para a rede social em janeiro, enquanto mantém seu cargo de professor na Universidade de Nova York.

O movimento do Facebook segue a incursão do Google no mundo da inteligência artificial e sua notável aquisição neste ano da DNNresearch, uma empresa inovadora criada pelo professor da Universidade de Toronto Geoffrey Hinton e dois de seus alunos, que desenvolveram uma tecnologia que reproduz modelos computadorizados de algumas funções do cérebro, como o reconhecimento de discursos e a repetição de padrões.

ENSINANDO-OS A PENSAR

A inteligência artificial pode ajudar os computadores a "pensar" de maneira similar à dos humanos e ajudar a resolver seus problemas. Um dos exemplos mais famosos é o computador da IBM chamado Watson, que venceu participantes no concurso de perguntas televisivo "Jeopardy".

LeCun é conhecido por ter criado uma primeira versão de um algoritmo de reconhecimento de padrões que imitam parte do córtex visual de animais e humanos.

Entre suas pesquisas recentes, estão a aplicação de métodos de "aprendizagem profunda" para o entendimento de uma cena visual, carros sem motoristas e pequenos robôs voadores, além de reconhecimento de discurso, e aplicações na biologia e na medicina.

James Hendler, que é chefe do Instituto Rensselaer para Exploração de Dados e Aplicações, afirmou que o Facebook já usa alguns algoritmos de inteligência artificial para seu "gráfico de rede social". Mas aplicá-los em fotos, vídeos e outros dados multimídia requer um impulso.

"Espero que, num curto prazo, eles se concentrem em melhorar os algoritmos existentes, por exemplo aqueles que selecionam o que é exibido no feed de notícias do usuário", disse. "Deveríamos ver muito mais funcionalidades, como busca de imagens de coisas em que alguém possa estar interessado."

"Especula-se muito que as pessoas estão abandonando o Facebook porque não estão contentes com o filtro do feed de notícias, que não os permite ver muitas coisas que gostariam de ver sobre seus amigos."
 
 
 
Fonte: Folha

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar