Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

MÉDICOS BRASILEIROS JÁ CONVIVEM PACIFICAMENTE COM O ´DR. GOOGLE´

13/12/2013

retrato do medico na internet

Um dos médicos mais conhecidos atualmente é um tal de “Dr. Google” consultado cada vez mais por pessoas preocupadas com algum problema de saúde ou interessadas em entender, elas próprias o diagnóstico. Ao invés de achar ruim que seus pacientes usem a internet para buscar informações, os médicos brasileiros lidam bem com o fenômeno e utilizam intensamente a web como ferramenta profissional.

Essa é uma das descobertas do estudo inédito Retrato do Médico na Internet 2013 realizado pelo portal Minha Vida com 220 médicos brasileiros para identificar o perfil do uso da internet por esses profissionais. A pesquisa revela que eles convivem pacificamente com as informações apresentadas pelo “Dr. Google” a seus pacientes, que chegam "diagnosticados" antes mesmo de uma consulta com o próprio especialista.

clique para ver o estudo completo

De acordo com o estudo, a maioria dos médicos - 97% - acha normal o comportamento dos pacientes que utilizam o buscador para pesquisar previamente sobre sintomas e possíveis condições de saúde. Mas 26% deles não confia no “diagnóstico digital” relatado pelos pacientes.

O portal Minha Vida comparou os resultados obtidos no Brasil com dados apontados pela pesquisa “Screen to Script - The doctor’s digital path to treatment”, realizada pela Google com 506 médicos dos Estados Unidos, no ano passado. Enquanto que no Brasil, 81% dos especialistas utilizam diariamente ferramentas de busca como o próprio Google, o Yahoo e o Bing para atividade profissional, nos EUA esse índice é pouco maior - 84%.

Motivos para pesquisar

Os dois estudos mostram os principais motivos que levam os médicos a fazer pesquisas na internet. Em primeiro lugar ficou a chegada de um novo medicamento ou tratamento, que leva 68% dos médicos brasileiros e 51% dos americanos recorrer à internet. A leitura de artigos especializados é um fator importante do uso da web: 59% dos profissionais de ambos os países adota a web como biblioteca.

Se o paciente pede algum medicamento específico, 56% dos médicos nacionais e 62% do hemisfério Norte acessam a rede para conferir mais detalhes. E, se algum suposto efeito colateral é reportado após o uso de determinada medicação, a internet vira uma fonte complementar para 50% dos profissionais do Brasil e 61% dos Estados Unidos.

Conectividade

O Retrato do Médico na Internet 2013 do portal Minha Vida mostra que 70% dos respondentes têm acesso à internet em todos os lugares onde atendem seus pacientes. Nesse universo, o desktop ainda é o equipamento mais utilizado (80%), acompanhado do notebook (64%), do smartphone (51%) e do tablet (45%). Clique no infográfico para ampliar.

Já os índices apontados pela pesquisa realizada nos Estados Unidos pela Google mostram que a mobilidade é mais forte entre os médicos americanos: 84% deles utilizam o smartphone e 54%, o tablet. Vale acrescentar ainda que, em ambos os países, o acesso à internet ocorre principalmente nos intervalos das consultas, de acordo com 63% dos respondentes brasileiros e 77% dos norte-americanos.

De acordo com o estudo do Minha Vida, 85% dos entrevistados confessaram acessar buscadores para conferir como anda sua reputação no ambiente digital. Divulgar seu trabalho pela internet é importante para 53% dos entrevistados, enquanto 31% não têm uma opinião formada a respeito e 16% não gostam da ideia.

Nesse contexto, 54% deles usa a web como canal de divulgação e as principais iniciativas digitais adotadas para isso são: sites de clínicas ou consultórios (35%), sites das associações a que são afiliados (16%) e página profissional no Facebook (15%).

O estudo Retrato do Médico na Internet 2013 ouviu cirurgiões cardíacos, cirurgiões pediátricos, endocrinologistas, hematologistas, pneumologistas, entre outros especialistas formados, em sua maioria, pela USP, Unifesp, Unesp, UERJ, Unicamp e pelas universidades federais de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pernambuco. Metade dos entrevistados tem entre 21 e 40 anos de carreira, 68% são homens e 48% atuam em São Paulo.

Fundado em julho de 2004, o Minha Vida (www.minhavida.com.br) é um site que tem como missão democratizar as informações de saúde e bem-estar, melhorando a qualidade de vida da população. Ele é hoje o maior site de saúde e bem-estar do Brasil, reunindo mais de 10 milhões de visitantes únicos por mês, 18 milhões de usuários cadastrados, 13 milhões de visitas mensais e 50 milhões de page views. Desde 2009, o Minha Vida é uma empresa Endeavor.
 
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar