Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ENTENDA POR QUE OS DRONES DA AMAZON TALVEZ NUNCA CHEGUEM À SUA PORTA

06/12/2013

O ambicioso plano da Amazon para usar drones para entregar pacotes é rebuscado, mas não apenas por causa de limitações tecnológicas ou regulamentos de tráfego aéreo.

A rede de centros de atendimento da gigante do varejo, do jeito que está agora, é muito limitada para servir até mesmo a uma pequena fração dos EUA no método descrito pelo CEO Jeff Bezos.

Muitos dos centros de atendimento da Amazon estão baseados em localidades rurais, onde a terra para os armazéns são baratas. Como Bezos disse durante sua entrevista ao jornal "60 Minutes", da CBS, os veículos aéreos não tripulados (em inglês, unmanned aerial vehicles, ou simplesmente UAVs) seriam capazes de entregar pacotes dentro de um raio de aproximadamente 16 km dos centros de distribuição.

Isso significa que, se você é uma das 10 mil pessoas que vivem em Coffeyville, Kansas ou Campbellsville, Kentucky, então você está com sorte! Mas os moradores de Nova York, Los Angeles, Atlanta, Filadélfia, Washington, DC, Chicago, Denver, San Francisco e outras grandes cidades podem esquecer o serviço Prime Air, a menos que a Amazon expanda o seu raio de distribuição.

Este mapa mostra 60 centros de distribuição em 15 estados no EUA. Os círculos azuis em torno dos centros de atendimento representam o intervalo de 16 km dos drones. A visualização padrão mostra o quão pouco do país seria coberto pelo serviço proposto. Deixando as questões técnicas e regulamentares de lado, esta é uma limitação grave.

O raio de entrega para os drones mostrados no vídeo da Amazon parece literalmente pequeno, de acordo com Colin Guinn, CEO da DJI Innovations, uma empresa baseada no Texas que produz sistemas de cinematografia aéreos não tripulados para uso comercial e de lazer.

"O vídeo é de longe uma prova de conceito ainda", disse Guinn. "Mas com o sistema que eles mostraram, uma viagem de 30 km rodados com uma única carga não é possível com a tecnologia de hoje."

Ele disse que o sistema da Amazon apresentou transportaria uma carga útil de pouco mais de 2 quilos por um tempo máximo de vôo de cerca de 15 a 20 minutos. "Isso equivaleria a um raio de entrega de cerca de 8 km", disse ele, acrescentando que um raio de 16 km pode ser possível dentro de cerca de um ano.

Guinn disse que outro problema potencial é a escolha de onde exatamente o avião vai pousar para entregar o pacote. Poderia ser obrigado a passar por obstáculos que não são retratados em uma visão de satélite do local de entrega, por exemplo, uma árvore recém-plantada ou crianças brincando na calçada.

"Obviamente o desvio de obstáculos será implantado nos drones", disse Guinn. "O que os clientes também podem fazer é escolher um ponto de pouso específico ao encomendar, como o quintal ou a calçada." 

Oferecer um local livre de obstruções poderia ajudar o drone a evitar acidentes. Ainda assim, mesmo que os drones pudessem voar 30 km a partir de centros de distribuição, apenas uma pequena parte do país poderia ser atendida.

Para dar a Bezos o benefício da dúvida, é possível que a Amazon construa uma rede de centros de distribuição secundárias nas principais cidades em 2018. 

Há também a possibilidade de que a limitada disponibilidade do Prime-Air é por design. Limitar o serviço para pequenas cidades e vilas significaria que os drones poderiam evitar os espaços aéreos lotados de grandes áreas metropolitanas. 

O que ainda resta é saber como a Administração Federal de Aviação dos EUA iria governar os drones autônomos já que as aeronaves comerciais atuais estão em constante contato com os controladores de tráfego aéreo quando estão acima de grandes cidades.

"Precisará haver redundâncias e sistemas de segurança a bordo dos drones", disse Guinn. "A proximidade com aeroportos comerciais será um grande fator."

Como Bezos, Guinn concorda que a regulamentação será a última peça do quebra-cabeça. Um monte de pessoas têm sonhado com este tipo de cenário e é encorajador ver a Amazon avançar com ele.
 
 
 
Fonte: IdGNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar