Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

IDOSA CONHECE HOMEM PELA INTERNET E PERDE QUASE R$ 130 MIL EM GOLPE

05/11/2013

A britânica aposentada Kathleen Fortun, 68, perdeu 36 mil libras (cerca de R$ 129 mil) em 2012, depois de conhecer pela internet um falso militar chamado Richard Allman. Eles entraram em contato via site de encontros, trocaram e-mails por alguns meses e ela descobriu o golpe em dezembro do ano passado, quando viajaria para encontrá-lo em Los Angeles (EUA). Kathleen contou recentemente sua história à publicação "Daily Mail", dizendo-se envergonhada do que fez (parte do dinheiro perdido no golpe foi emprestado pelo filho e por um amigo).

Divorciada e mãe de dois filhos (um de 45, outro de 48), ela se cadastrou em julho de 2012 no site Datingagency.com, para pessoas com mais de 40 anos. Dois dias depois, recebeu a mensagem de um homem chamado Richard Allman, que dizia ter 61 anos, ser militar, viver na Califórnia e estar em uma missão no Afeganistão.  Ele também contou que sua mulher havia morrido em um acidente de carro, há oito anos, e que ele pretendia voltar para Londres, onde tinha nascido.

"Ele parecia bom, apaixonado, afetuoso e tinha uma maneira quase poética de escrever [...]. Não tinha motivos para duvidar dele", afirmou a idosa à publicação britânica.

Depois de algumas trocas de e-mails, o homem enviou a Kathleen uma foto em que aparecia de uniforme. Quando mais tarde ela desconfiou do golpe e foi à polícia dar queixa, as autoridades apresentaram uma pasta com diversas imagens utilizadas com frequência por golpistas - a foto do falso Allman estava entre elas. Segundo Kathleen, trata-se do retrato de um militar norte-americano aposentado em 2000.

Ela, por sua vez, mandou sua foto para um endereço no Afeganistão. Ele respondeu dizendo que Kathleen era bonita e que havia colocado a imagem em cima de sua mesa, no alojamento. "Ele também disse que olhava para ela todas as noites. A essa altura, estávamos nos correspondendo havia seis semanas e ele me falou quanto me amava. Eu também estava me interessando por ele, mas a última coisa que queria era me machucar."

Quando contou a história ao filho, ele a avisou: "Não importa o que aconteça, não mande dinheiro".  Alarmada, a mulher escreveu a seu amigo virtual perguntando se ele era mesmo real. Recebeu então a cópia de um passaporte com a foto dele, que a fez sentir culpada por ter duvidado. "Parecia uma prova concreta [...]."

Os dois nunca falaram ao telefone: ela tem um problema de audição causada por uma meningite e não conseguiria ouvi-lo dessa forma. Ao contar sobre o problema para Allman, ele disse que aquilo não fazia diferença e escreveu: "Mal posso esperar por acordar uma manhã e encontrá-la dormindo ao meu lado. Que vida linda poderíamos ter juntos". Ela reconhece que teve medo pela forma rápida como as coisas aconteceram, mas disse que era difícil resistir.

Transferências
Cerca de dois meses depois de os dois se conhecerem pela internet, Allman enviou um e-mail a Kathleen contando que sua conta bancária havia sido congelada por motivos de segurança. O golpista disse ter deixado em Gana uma bagagem com papéis secretos do exército, que foram confiscados. Eles então exigiram 30 mil libras (cerca de R$ 107 mil) para devolver o conteúdo. "Eu devia ter percebido, mas ele soava muito convincente [...]. Ele e ele nunca pediu dinheiro, só parecia estar me confidenciando algo. Estupidamente, ofereci ajuda."

Ela pegou 10 mil libras (cerca de R$ 35,7 mil) com o filho e mais 20 mil libras (cerca de R$ 71,5 mil) com um amigo também aposentado – a mulher, no entanto, não contou a nenhum dos dois o real motivo dos empréstimos. Ela tinha ainda uma economia de 6 mil libras (cerca de R$ 21,4 mil), que foi enviada para Allman reservar as passagens de avião dos dois até Los Angeles. "No Correio havia uma placa dizendo para nunca enviar dinheiro a alguém que você não conhece. Mas eu me convenci de que [meu caso] era diferente."

Um funcionário do correio chegou a questionar, em sua terceira visita, por que ela enviaria mais 6 mil libras a uma conta bancária em Gana. Kathleen se irritou com a intromissão e optou por outro serviço de transferência de dinheiro (no processo de investigação, não foi possível chegar aos verdadeiros donos da conta em Gana).
 

Descoberta
A aposentada só se deu conta de ser vítima de um golpe quando, em dezembro do ano passado, foi até o aeroporto de Gatwick (Londres), onde embarcaria para Los Angeles - os dois se encontrariam na Califórnia. Ao chegar ao local, não havia nenhuma reserva de voo em seu nome. "Senti um pânico crescente, depois um sentimento profundo de enjoo. Fui para casa, peguei meu iPad com os e-mails e me dirigi até uma delegacia de polícia", lembra.

Ela só contou a história para seu irmão, que teria feito o relato aos dois filhos de Kathleen. Desde então, os dois mal falam com ela. Já o amigo de quem emprestou o dinheiro ficou furioso ao ser informado do golpe pela polícia. "[...] Traí sua confiança. Me sinto muito envergonhada." Ela disse que está tentando pagar essas pessoas de volta, mas não tem dinheiro. "Olho para trás e penso: como pude ser tão estúpida?"

Ao "Daily Mail", ela disse que topou contar sua história para prevenir que outras vítimas caiam no mesmo golpe. "Sou exatamente o que os golpistas procuram: sozinha, mais velha e vulnerável. Alguém que quer acreditar que encontrará o amor novamente. Acordo todas as manhãs na esperança de ter sido um pesadelo. Não quero que ninguém seja tão bobo." 
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar