Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

O MUNDO ESTÁ NO COMEÇO DA ERA DA ECONOMIA INDUSTRIAL DIGITAL, DIZ GARTNER

29/10/2013

De acordo com o Gartner, líder em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, os gastos mundiais com TI devem alcançar US$ 3,8 trilhões, em 2014, um aumento de 3,6% em relação a 2013. Mas, são as oportunidades do mundo digital que animam os líderes de TI.

“O resultado disso é que, ultimamente, todos os orçamentos são de TI, todas as empresas são de tecnologia e estão se tornando líderes digitais, e todas as pessoas estão se transformando em uma companhia de tecnologia. Como consequência, uma nova era se inicia: a economia industrial digital”, diz Peter Sondergaard, líder global de pesquisa do Gartner.

A nova economia digital será um dos principais temas do Symposium ITxpo, que acontece entre os dias 4 e 7 de novembro, no Sheraton São Paulo WTC Hotel. Na ocasião, os analistas do Gartner tratarão de como a digitalização está alterando a economia global e quais são as novas habilidades criadas por ela.

Esta economia será construída com base no Nexus das Forças (a confluência e integração da Nuvem, Colaboração Social, Mobilidade e Informação) e a Internet de Tudo, ao combinar o mundo físico e o virtual. “A digitalização expõe as empresas e suas operações a essas forças. É assim que você atinge os clientes, opera sua fábrica, gera receita e entrega os serviços. As organizações que fazem isso, hoje, se destacam e vão liderar, coletivamente, a nova economia industrial digital”, afirma Sondergaard.

O impacto econômico da Internet das Coisas
Em 2009, existiam 2,5 bilhões de dispositivos conectados à Internet com um único endereço de IP – na maioria, aparelhos celulares e PCs. Em 2020, haverá quase 30 bilhões de aparelhos conectados, sendo a maior parte deles produtos. Isso cria uma nova economia. O Gartner prevê que o valor econômico total agregado para a Internet das Coisas será de US$ 1,9 trilhão, em 2020, beneficiando diversos setores, como saúde, varejo e transporte.

O digital muda, amplamente, o mercado de TI por meio da Internet das Coisas. Nos segmentos de Tecnologia e Telecom, o faturamento associado vai ultrapassar US$ 309 bilhões ao ano, em 2020.

Os aparelhos inteligentes móveis tomaram a liderança do mundo da tecnologia. Em 2017, novas categorias de dispositivos, como telefones móveis, tablets e ultrabooks representarão mais de 80% dos gastos com aparelhos. O Gartner também prevê que, em 2017, cerca de metade das compras do primeiro computador serão de tablets. Portanto, a mobilidade é a plataforma de destino para todas as aplicações.

O futuro dos fornecedores de TI
O mundo digital se move rápido para muito fornecedores tradicionais de TI. No passado, as maiores empresas de tecnologia reinavam na indústria por longos períodos. Porém, cinco anos atrás, os atuais líderes em áreas como Nuvem e Mobilidade não estavam no “radar” de muitos CIOs.

O que muitos fornecedores tradicionais de TI vendiam no passado não é mais necessário para o futuro digital. Sua estratégia de canais, a força de vendas e o ecossistema de parceiros são desafiados por diferentes concorrentes, novos centros de compra e novos modelos de negócio dos clientes. A digitalização cria um ambiente acelerado de startups tecnológicas ao redor do mundo. Muitos fornecedores líderes atuais, como Cisco, Oracle e Microsoft podem não estar no topo na economia industrial digital.

Big Data e Segurança
Todos os objetos conectados à internet geram dados, bem como as pessoas e suas atividades. As máquinas inteligentes os consomem e produzem e os aparelhos móveis são as “janelas” para estas informações. As empresas que estão, efetivamente, integrando-se a esse mundo digital aproveitam estas informações para mudarem seus negócios.

Com todos esses dados dentro da organização de TI, a cyber segurança será uma preocupação constante, tanto dentro quanto fora da empresa. Os líderes de TI devem antecipar eventos que continuamente aumentam a sensibilização da população ou criam medo.

A segurança das tecnologias embarcadas que sua empresa possui se tornará uma responsabilidade operacional importante em 2020. A digitalização criará novas infraestruturas e vulnerabilidades dentro delas. O Gartner recomenda que seja construído um portfólio de fornecedores de segurança para que todos os problemas sejam resolvidos rapidamente. Todos precisarão estabelecer processos de segurança mais ágeis.
 
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar