Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

ONU COBRA NORMA GLOBAL DE PROTEÇÃO À PRIVACIDADE DE DADOS

10/09/2013

A alta comissária dos Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), Navi Pillay, disse que as denúncias de violação de comunicação envolvendo cidadãos do mundo são uma “uma dramática intrusão" dos sistemas nacionais de segurança. Para a alta comissária, é fundamental a adoção de mecanismos mais eficientes de proteção à privacidade.

A alta comissária dos Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU), Navi Pillay, apelou nesta segunda-feira, 09/09, para que os países adotem normas de proteção à privacidade dos cidadãos. Segundo ela, as denúncias de violação de comunicação envolvendo cidadãos do mundo são uma “uma dramática intrusão" dos sistemas nacionais de segurança. Para a alta comissária, é fundamental a adoção de mecanismos mais eficientes de proteção à privacidade.

O pedido de Pillay ocorre no momento em que o Brasil cobra dos Estados Unidos explicações sobre as informações de espionagem envolvendo desde a presidenta Dilma Rousseff, assessores e cidadãos brasileiros, até as últimas denúncias de que a Petrobras também foi alvo de monitoramento norte-americano."O largo alcance dos sistemas nacionais de vigilância, por razões de segurança, incluindo nos Estados Unidos e no Reino Unido e seu impacto nas pessoas, continua a gerar inquietação", disse Pillay.

Na abertura da 24.ª sessão do Conselho dos Direitos Humanos, em Genebra, Pillay mencionou a série de violações dos direitos humanos registradas no mundo, principalmente no Oriente Médio. Além da situação na Síria, para a qual ela pediu "negociação imediata", opondo-se a uma intervenção militar externa e à continuação do fornecimento de armas às partes em conflito, Pillay citou sua preocupação com o agravamento das crises no Iraque, no Egito, no Bahrein, na Turquia e na Palestina. Também mencionou o Iraque, que sofreu uma série de ataques a bomba. A executiva criticou ainda o governo de Israel por promover o que classificou como "política de despejos forçados e demolições" nos territórios palestinos.

 
 
Fonte: Convergencia Digital

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar