Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

HACKER INVADE BABÁ ELETRÔNICA E GRITA PALAVRÕES PARA CRIANÇA DE 2 ANOS

15/08/2013

Um hacker invadiu o circuito de uma babá eletrônica e gritou insultos para uma criança de 2 anos, aproveitando-se de uma vulnerabilidade do sistema computadorizado do aparelho.

Segundo a emissora americana ABC News, Marc e Lauren Gilbert, um casal de Houston, Texas, escutou uma voz "de sotaque britânico ou europeu" gritando ofensas e obscenidades pela câmera da empresa Foscam.

A filha do casal, Allyson, estava no quarto, dormindo. A menina é surda, o que acabou sendo "uma bênção" nesse episódio, disseram seus pais.

Pela câmera, o hacker foi capaz de ver o nome da criança escrito na parede do quarto.

"A sensação era de que tinham invadido a nossa casa", disse Marc.

Senhas

A Foscam, que anuncia seu produto como a "babá eletrônica ideal", ainda não comentou o caso nos EUA. Mas sua revendedora na Grã-Bretanha disse à BBC que vai entrar em contato com sua base de consumidores para alertá-los "quanto à importância de proteger suas câmeras com senhas".

A BBC encontrou provas de que hackers compartilham informações sobre como acessar câmeras não protegidas em fóruns online.

Usando mecanismos de busca especializados, é possível delimitar os resultados por localização.

Em um desses fóruns, havia listas para acessar câmeras de "escolas e creches" ou de "quartos infantis".

Em abril, a empresa de segurança Qualys descobriu brechas em equipamentos da Foscam e, no ano passado, outra empresa, a Trendnet, teve de atualizar seu sistema para consertar falhas que deixaram milhares de câmeras expostas à ação de invasores.

Num fórum no site da Foscam, alguns consumidores se queixaram de problemas de segurança. "Meu marido ouviu um barulho no quarto dos bebês. Um homem começou a falar com ele (pela câmera)", disse uma usuária.

Para Alan Woodward, professor do Departamento de Computação da Universidade de Surrey (Grã-Bretanha), "equipamentos de monitoramento são úteis para garantir a segurança de crianças, mas é preciso cuidado antes de ligar (os aparelhos) a internet, já que isso aumenta sua vulnerabilidade".

Ele recomenda que os softwares dessas babás eletrônicas sejam frequentemente atualizados.
 
 
 
Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar