Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

IMPRESSORAS 3D PODEM SE PAGAR EM MENOS DE UM ANO

05/08/2013

Apenas imprimindo seus próprios anéis para as cortinas do banheiro, cases para smartphones, organizador de bijouterias e outros produtos comuns, um consumidor doméstico típico pode recuperar os custos de uma impressora 3D em menos de um ano.

Esta é a conclusão de um estudo elaborado pela Michigan Technological University (MTU), nos EUA, que usou números “conservadores” e concluiu que a economia pode chegar a US$ 2.000 anuais com a impressão doméstica de 20 produtos comuns.

“É impressionante que você possa imprimir seus próprios suportes para a cortina do banheiro e gastar menos do que em uma loja”, disse Joshua Pearce, um professor associado ao Departamento de Ciência de Materiais e Engenharia da MTU. “Você pode fazer exatamente o que quer. Esse é o verdadeiro poder da impressão 3D. Você pode conseguir objetos sob medida por preços que são menores do que o que poderia conseguir de fabricantes na China”.

Outra vantagem da impressão 3D apontada por Pearce é a capacidade de combinar os novos objetos com a decoração da casa ou personalizar um case para um smartphone com seu próprio design.

O estudo também concluiu que além de recuperar custos as impressoras 3D podem até mesmo gerar lucro pois podem ser usadas para imprimir suas próprias peças de reposição, que podem ser revendidas em sites como o eBay.

O estudo levou em consideração os custos de envio e impostos dos produtos adquiridos de forma tradicional, mas também uma taxa de 20% de falhas nos trabalhos de impressão 3D, que teriam de ser reiniciados. Ainda assim, pesquisadores que compararam objetos no Google Shopper descobriram que a diferença de preço em produtos comuns para a casa era tão grande que excedia em muito o custo de polímeros e mesmo de peças para a impressora.

“Nós gastamos US$ 18 para imprimir todos os items, e o menor preço nas lojas que conseguimos encontrar para o mesmo conjunto de objetos foi de US$ 312. O mais alto foi de US$ 1.943”, disse Pearce.

Para que a tecnologia de impressão 3D se prolifere como as impressoras 2D (laser ou jato de tinta), elas precisam ser economicamente viáveis para um lar típico. Pearce afirma que as impressoras 3D atingem esse objetivo com facilidade. 

“O motivo pelo qual fizemos o estudo, e não sabíamos quais seriam os resultados quando começamos, é que muitas pessoas dizem que as impressoras 3D ainda não estão prontas ou que uma impressora de US$ 3.000 nunca irá se pagar”, diz ele. “Eu sei que posso imprimir em quatro horas algo que irá me economizar milhares de dólares, mas a maioria das pessoas não precisa imprimir ferramentas científicas específicas.”

Usando uma impressora 3D RepRap, cujo projeto está disponível na internet sob uma licença Open Source, os pesquisadores foram capazes de recuperar todos os custos associados a materiais para impressão em menos de um ano, demonstrando um retorno no investimento (ROI) de mais de 200%.

De fato, impressoras 3D podem produzir aproximadamente metade de suas próprias peças. Uma RepRap pode custar de algumas centenas de dólares a mais de US$ 1.000.

“Os resultados mostram que mesmo fazendo a extremamente conservadora estimativa de que uma residência típica só usará a impressora para produzir 20 itens selecionados ao longo de um ano, a economia com compras que não são mais necessárias pode variar de US$ 300 a US$ 2.000 anuais”, diz o estudo. O estudo estima que são necessárias pelo menos 25 horas para imprimir todos os itens selecionados, igualmente distribuídas ao longo do ano. Isso resultaria em um retorno do investimento em um período que pode variar de 4 meses a 2 anos, e um ROI entre 40% e 200%.

“A conclusão inevitável deste estudo é que impressoras 3D como a RepRap já são um investimento economicamente atraente para uma residência típica nos EUA”, diz o estudo. “Parece claro que à medida em que elas ganharem confiabilidade, se tornarem mais baratas e o número e utilidade de projetos open source continuar a crescer de forma exponencial, as impressoras 3D poderão se tornar um dispositivo mecatrônico de massa”.
 
 
Fonte: Pcworld

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar