Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

IBM COMEÇA A VENDER CAMISETAS DO MENOR FILME DE ANIMAÇÃO DO MUNDO

06/05/2013

O filme "A Boy and His Atom", animação em stop-motion produzida pelos cientistas da IBM apenas com atómos, já tem quase 3 milhões de views na página especial do YouTube lançada pela empresa no dia 01/05 para exibi-lo. O filme foi certificado pelo Guinness World Records como o menor filme de animação do mundo.

Os fãs mais ardorosos da tecnologia digital podem, além de baixar gratuitamente o poster do cartaz do filme no site explicativo, encomendar a camiseta na loja ShopIBM com a reprodução do mesmo cartaz, que custa 19,95 dólares e começa a ser despachada para os compradores a partir de 20 de maio. Na mesma loja você consegue comprar a camiseta do supercomputador Watson.

atom_ibm"A Boy and His Atom" é parte da campanha de marketing criada pela agência Ogilvy para a IBMResearch para mostrar como os cientistas da empresa estão produzindo tecnologias que impactam o mundo. Nesse caso, os cientistas viraram cineastas e o laboratório de pesquisa em escala atômica virou set de filmagem. Há alguns anos, a equipe do laboratório tinha conseguido escrever a sigla IBM com átomos usando o processo de manipulação dos mesmos.

A idéia levou a produzir uma animação stop-motion na qual átomos individuais de Monóxido de Carbono (CO) foram agrupados, movidos e fotografados quadro-a-quadro sobre uma superfície de cobre para formar a animação que mostra a história de um garoto chamado Adam que brinca com um átomo de estimação. A escolha de monóxido de carbono e cobre não é por acaso: a combinação de ambos gera átomos mais estáveis para manipular.

O filme é microscópico - por isso as imagens que você assiste tiveram de ser ampliadas 100 milhões de vezes - e só foi possível faze-lo utilizando as técnicas de nanofísica da IBM para produzir memória em escala atômica. Por meio de um equipamento chamado scanning tunneling microscope (STM), cada átomo foi capturado por uma agulha e arrastado pela superfície de cobre por magnetismo.

É claro que a explicação simplifica um processo extremamente complexo uma vez que a tal "agulha" é controlada por uma sala cheia de equipamentos. E o desenvolvimento do STM pelos pesquisadores Gerd Binnig e Heinrich Rohrer, da IBM, lhes rendeu o Nobel da Física em 1986.

No ano passado, a IBM anunciou que, por conta da sua capacidade de manipular átomos individualmente, tinha conseguido chegar a uma técnica de armazenamento de dados que permitiu armazenar 1 bit em apenas 12 atómos. Para entender, basta dizer que hoje é preciso usar 1 milhão de átomos para armazenar um bit de dados em um computador ou dispositivo digital. Reduzindo de 1 milhão para apenas 12 átomos, a IBM abre caminho para uma nova categoria de computadores muito menores e poderosos e obviamente para mudanças em praticamente todos os campos da economia.
 
 
 
Fonte: IdgNow

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar