Página Inicial



twitter

Facebook

  Notícia
|

 

SERVIÇO 4G DEVE DEMORAR PARA DECOLAR NO BRASIL, ANALISA CONSULTORIA

17/04/2013

O serviço de telefonia móvel de quarta geração deve demorar para decolar no Brasil, mas as fabricantes smartphones se preparam para lançar mais opções de aparelhos com as altas velocidades de conexão à internet oferecidas pelo 4G. A análise é da consultoria IDC.

Companhias como BlackBerry, LG, Samsung, e Sony Mobile lançarão novos modelos nos próximos meses, buscando adiantar-se às tendências de consumo de aparelhos que virão quando as redes 4G crescerem.

Apenas 11 modelos estão homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), segundo dados da autarquia até meados de abril, ante mais de 370 modelos de terceira geração (3G) de alto desempenho. Mundialmente, há 260 aparelhos no padrão LTE --o mais amplamente utilizado para o 4G-- já disponíveis.

"Ainda é recente o 4G, então não é esperada uma avalanche de modelos de smartphones... mas durante o ano vamos ter mais lançamentos, e nesse momento vão ser dispositivos mais sofisticados", disse Bruno Freitas, analista da IDC.

A empresa de pesquisas prevê que neste ano devem ser vendidos no Brasil cerca de 600 mil smartphones habilitados para conexão 4G, volume quase quatro vezes maior do que em 2012, embora devam representar apenas 2 por cento dos cerca de 28 milhões de smartphones estimados para 2013.

Entraves

Governo e operadoras têm insistido que o 4G estará operacional e segundo as exigências para as Copas das Confederações, em junho, e da Copa do Mundo, em 2014, mas a Fifa tem criticado a implementação dos serviços.

As operadoras têm enfrentado um cronograma apertado de implementação do 4G, dificuldades de obter licenças para instalar equipamentos e a alta frequência de 2,5 Gigahertz (GHz), que exige mais antenas do que frequências como a de 700 MHz, utilizada no país pela TV aberta analógica. Além disso, há uma baixa diversidade de smartphones compatíveis com o 4G na frequência de 2,5 GHz que já podem ser comercializados no país.

De qualquer forma, num primeiro momento de menor demanda, os aparelhos atualmente homologados, que em sua maior parte devem começar a ser vendidos a partir de maio, devem ser suficientes para abastecer o mercado, dizem especialistas.

"Acho que para começar é um bom número, já que na faixa de 2,5 GHz a escala não é muito grande em outros mercados", disse Erasmo Rojas, diretor para América Latina da 4G Americas, com sede nos EUA, que representa operadoras e fornecedores.

O governo exige que apenas seis cidades, as sedes da Copa das Confederações, sejam atendidas inicialmente --Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador, representando cerca de 18 milhões de pessoas.

Isso deixa de fora, por exemplo, São Paulo, um dos maiores mercados do Brasil, com mais de 11 milhões de pessoas, embora o município deva ser atendido por algumas operadoras no começo.

A 4G Americas trabalha com um cenário no Brasil de 900 mil a 1 milhão de assinaturas de serviços 4G até o fim de 2013, disse Rojas, em um universo de mais de 60 milhões de conexões de banda larga móvel no ano passado, pelas contas da Anatel.

Desse total para 4G, a expectativa é que 400 mil a 500 mil conexões sejam de smartphones, enquanto o restante será relativo a modems e outros dispositivos, segundo dados da empresa de pesquisa Informa usados pela 4G Americas.

O Ministério das Comunicações recentemente publicou uma portaria desonerando smartphones produzidos no país para produtos cujos preços não excedam 1,5 mil reais no varejo --valor muitas vezes superado por dispositivos mais sofisticados, como no caso do 4G.

Novos modelos

A sul-coreana Samsung, maior fabricante de smartphones do mundo, afirmou que terá mais aparelhos 4G no segundo semestre além dos quatro modelos já homologados, segundo o gerente sênior de produtos, Ricardo Araújo.

"Estamos avaliando a introdução desses (novos) produtos no mercado brasileiro, mas temos um plano (...) muito agressivo de ampliação da linha 4G no segundo semestre", disse à Reuters. Os smartphones da empresa são fabricados no Brasil.

Enquanto isso, a canadense BlackBerry planeja lançar mais dois modelos compatíveis com o 4G brasileiro em 2013, além do Z10, com tela sensível ao toque e do Q10, com teclado físico, disse à Reuters o diretor-geral para o Brasil, João Stricker.

A também sul-coreana LG, que já tem dois aparelhos 4G homologados pela Anatel, prepara-se para lançar nas próximas semanas o Optimus G, produzido no Brasil, além de mais dois ou três modelos compatíveis com a frequência de 2,5 GHz ainda neste semestre, afirmou o gerente geral de produtos e estratégia da LG Electronics do Brasil, Raphael Rocha.

A Sony Mobile programa inicialmente dois smartphones 4G no Brasil, sendo um o Xperia ZQ, já homologado e em fase de pré-venda. O outro aparelho deve chegar "em breve", de acordo com a diretora de marketing para o Brasil, Ana Peretti. Globalmente, a marca Sony Mobile lançou cinco modelos 4G em 2012.

A Motorola Mobility não quis entrar em detalhes sobre quantos lançamentos fará no Brasil neste ano, mas segundo o diretor de marketing, Rodrigo Vidigal, haverá novidades no curto prazo. A empresa já homologou o modelo Razr HD para conexão 4G.

A Nokia tem dois aparelhos 4G homologados pela Anatel e o mais recente modelo iPhone da Apple é compatível com a frequência 700 MHz que o governo quer licitar no começo de 2014. Ambas preferiram não comentar o assunto.




Fonte: Uol

 
Indique esta notícia Indique esta notícia para um amigo

Início Notícias  | Voltar